Livro revisita a presença francesa na gastronomia do Recife dos anos 1900

No início do século passado, a França ditava os costumes no mundo. Tanto  era assim que, nos colégios, a língua estrangeira mais estudada era o francês. No Recife, a influência era sentida na arquitetura, na moda, nos cafés, na gastronomia. O fato terminou inspirando o historiador pernambucano Frederico Toscano a pesquisar sobre o assunto, o que rendeu o livro À Francesa: a A Belle époque do comer e do beber no Recife.

Publicado em 2014  pela Companhia Editora de Pernambuco, a obra estava esgotada , diante do interesse que despertou. O livro do também escritor e gastrônomo pernambucano ficou em  terceiro lugar no Prêmio Jabuti 2015, na categoria Gastronomia. E estava esgotado há três anos. Agora a obra ganha nova tiragem de 500 exemplares pela editora pública pernambucana.  Com 338 páginas, o livro aborda as três primeiras décadas do século passado, período em que a França ditava os costumes em todo o mundo. E a capital pernambucana, sempre buscando refletir o que de mais moderno ditava o país europeu para a civilização ocidental, foi muito influenciada pelos francesismos gastronômicos de então. E eles não se limitavam apenas à elaboração dos pratos e à confecção dos cardápios.

A influência era forte, também,  na criação de armazéns importadores de ingredientes e restaurantes. A obra é resultado de pesquisa de mestrado pela UFPE em História social do Nordeste. “Decidi abordar a presença francesa na alimentação do Recife, e o recorte histórico escolhido foi de 1900 a 1930, período em que costumamos chamar de Belle époque, uma época de afrancesamento das capitais brasileiras, em que os governantes tentavam afrancesar suas cidades como locais belos, modernos, higiênicos”, recorda o autor.

O Café Lafayette era uma das casas do Recife do início do século passado que imitava Paris. Hoje só saudade…..

Ele abordou essa modernidade pelo viés da alimentação. Para construir a narrativa, Frederico pesquisou jornais e revistas do começo do século 20, época em que surgiram os primeiros cafés e restaurantes da capital pernambucana. “Como existe uma demanda, acho importante ele estar de volta às livrarias”, acrescenta o escritor. “A reimpressão de À Francesa devolve às prateleiras um livro importante para a história alimentar e cultural de Pernambuco, e também prepara o terreno para uma nova obra de Frederico Toscano, que aborda a influência das comidas e hábitos americanos com a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial”, adianta o editor da Cepe, Diogo Guedes.

Toscano é bacharel em Gastronomia pela UFRPE, mestre em História pela UFPE e doutor em História Social pela USP E atua como professor de nível superior e técnico nas áreas de Gastronomia, Turismo, Hotelaria e História. Voltado para os aspectos culturais dos estudos da alimentação, Frederico busca enriquecer os diálogos sobre o assunto dentro e fora da academia, com palestras e programas na TV e internet, e artigos para revistas e sites.

Nos links abaixo você pode conferir outras publicações da Cepe.

Leia também
Sabe o antigo Café Lafayette? Veja o que existe no lugar dele
Viagem aos sabores do mundo
Raul Lody revisita Gilberto Freyre
Sessão Recife Nostalgia: O Recife do século 19 que queria ser  Paris
Com açúcar, afeto e … esforço
Comida e tradição no Museu do Estado
Caixa de leitura está na rua
Leia de graça “A emparedada da Rua Nova”
Livro revela segredo da guerrilha
História: Revolução de 1930 e três homens que se chamavam João
Público tem acesso a 132 mil documentos deixados pelo Dom da  Paz
Os levantes dos camponeses e a triste memória da ditadura no Recife
Sessão Recife Nostalgia: Os banhos noturnos de rio no Poço da Panela
O ano de Cida Pedrosa: escritora premiada, feminista  e vereadora
Livro sobre Clarice Lispector: “O que escrevo continua”
“João Cabral não é um iluminado, mas um iluminador”
Pandemia não inibe produção de livros. Vem até um sobre o Zepellin
De Yaá a “Penélope Africana”
História de Janete Costa em livro
Mary Del Priori é a primeira atração de Circuito Cepe
O levante dos camponeses
Editoras contra elitização do livro
Aventura literária no Olha! Recife
Carlos Pena Filho: Desejos presos na APL
Carlos Pena Filho: trinta copos de chope
Litoral Sul ganha tenda literária
Sidney Rocha  preside Conselho da Cepe
O lado editor do escritor Sidney Rocha
Carlos Pena Filho: “são trinta copos de chope” e memórias no Museu do Estado
Joca e seus diálogos improváveis
Ditadura: a dificuldade dos escritores
Pensem, em 1964 já tinha fake news
Livro oportuno sobre a ditadura
Livro revela segredos da guerrilha 
Anco Márcio resgata a obra de Luiz Marinho
Tereza: uma mulher em três tempos
Miró estreia livro infantil
Clube da Leitura: livros com desconto
Compra de livros sem gastar tostão
Arruar mostra o Recife do passado
O dia que esqueci que sou repórter
Livro mostra os jardins históricos do Recife
O Recife pelas lentes de Fred Jordão
Carnaval: cinco séculos de história
Nação Xambá: 88 anos de resistência
Boa Viagem ao Brasil do século 17
O lado musical da Revolução de 1817
De Yaá a Penélope africana

Recife: pontes e “fontes de miséria”
Clube de leitura: livros com descontos

Serviço:
À Francesa: A Belle époque do comer e do beber no Recife, de Frederico Toscano

Editora: Companhia Editora de Pernambuco (Cepe)
Preço: R$ 60
Onde comprar: Cepe, sede (Rua Coelho Leite, 130, Santo Amaro, Recife);  Centro de Artesanato de Pernambuco, na Livraria Tarcísio Pereira (Marco Zero, Recife Antigo), Mercado Eufrázio Barbosa  (Largo do Varadouro, Olinda); e ainda na loja online: www.cepe.com.br

Texto:  Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Cepe e Internet

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.