Dia dos Namorados, Hotel Central, Dona Rosa, Ciça Guimarães e arroz doce

Que tal comemorar o Dia dos Namorados contribuindo para preservar o Hotel Central, que é cheio de história? Como vocês sabem, ele era considerado o único o “arranha-céu” do Recife, quando foi construído, na década de 30 do século passado. Chegou a ser considerado o melhor hotel da cidade, ao ponto de hospedar pessoas famosas como o então Presidente Getúlio Vargas e a cantora Carmem Miranda, então o maior sucesso musical da época. Tem mais, era nele que costumava ficar a tripulação do Zeppelin, o dirigível que até hoje povoa o imaginário popular da cidade.

Naquela época, o Recife era uma cidade horizontal. E das janelas do Hotel Central dava para se ver o Zeppelin atracado no Campo do Jiquiá, onde até hoje existe uma torre de atracação de dirigíveis, a única do mundo ainda de pé, mas infelizmente esquecida pelas nossas autoridades, como se fosse    uma estrutura de ferro comum, sem passado nem história. Daqueles tempos de voos de luxo, ficou, também,  a memória de alguns fatos em fotos distribuídas em alguns cômodos do Central. Pois bem, com toda essa história, o Hotel teve um período de decadência, depois passou por restauração e – no início da pandemia – quase fechou as portas. Só se manteve aberto devido à decisão de uma mulher coragem, Rosa Miranda, cozinheira do estabelecimento e que decidiu reerguê-lo.  Além dos hóspedes, ela buscou na sua cozinha regional impecável um jeito de fazer caixa.

Dona Rosa, a mulher coragem que, com seu tempero, decidiu salvar um hotel histórico que quase fecha na pandemia.

E hoje, Dia dos Namorados, em que os restaurantes só podem funcionar no serviço de entrega, devido às medidas restritivas impostas pela pandemia, Dona Rosa está a postos. No ano passado, o Grupo Bora Preservar fez um”tour”  pela Boa Vista e visita guiada pelo Hotel, em solidariedade a Dona Rosa. Desde então, o Coordenador do Grupo, Denaldo Coelho, posta sistematicamente o cardápio nas redes sociais de amigos, para que os amigos divulguem aos amigos. Dona Rosa merece. Nesse 12 de junho, o cardápio está ideal para quem curte comida regional. E quem solicitar refeição no Tempero da Dona Rosa (esse o nome do restaurante) terá direito a um brinde.

Se for sorteado ao pedir um prato (foto) ganha uma diária de estadia na suite a cobertura do hotel histórico. O cardápio, que é servido no terraço do Hotel Central (de segunda a sexta, enquanto as medidas restritivas estiverem valendo), mas também aos sábados e domingos, quando elas forem suspensas. Dona Rosa, aliás, esteve hoje Programa É de Casa, que a TV Globo transmite nas manhãs do sábado.

Nessa manhã, ela ensinou uma comida que não está no cardápio do Tempero da Rosa hoje. Dona Rosa  passou a receita do arroz doce que é uma comida junina. Ligue a TV no GloboPlay e aprenda fazer.  Na Tv Globo, quem esteve no fogão foi atriz  Ciça Guimarães, que nunca fez um arroz doce na vida. Mas Dona Rosa ensinou. O programa é transmitido nas manhãs do sábado, mas hoje,  o sucesso foi Dona Rosa. Quem quiser, pode aprender. Bonito e gostoso!

 Nesse final de semana, a comida será ofertada no serviço de entrega.  Confira, abaixo:

Serviço
O quê: Temperos da Rosa no Hotel Central
Onde: Hotel Central, Avenida Manoel Borba, 209, Boa Vista
Pedidos: 985337384 ou 30397733
Pratos: Feijoada brasileira, com arroz, farofa e vinagrete (R$ 30); Arrumadinho de carne de sol (R$ 25); Charque desfiada, com farofa de cuscuz (R$30); Frango à parmegiana (R$ 17); Bife acebolado (R$22); Fígado acebolado (R$ 17); Peixe frito R$ 25). Há, ainda, sobremesas: Doce de banana (aquele, maravilhoso, de rodinha; Delícia de abacaxi; e o clássico pudim de leite condensando, com calda de ameixa. Todos os doces custam R$ 5 a porção.

Leia também
Bora Preservar: Tour no Hotel Central
Solidariedade: S.O.S Hotel Central
Teatro do Parque agora vai… Será?
Imperatriz tem 26 lojas fechadas
Teatro Jardim, o Parque terá área verde como extensão do palco
Teatro do Parque será entregue em 2020. E também a Conde da Boa Vista
Que tal lutar pelo Teatro do Parque e também pelo Hotel do Parque?
Obras recomeçam no Teatro do Parque
O Hotel do Parque Sem Memória
Hotel do Parque em livro sobre Root
Virada Cultural pelo Teatro do Parque
Resgate histórico do Beco do Camarão

Ponte da Boa Vista pede socorro
Ponte da Boa Vista ganha abraço
Ponte da Boa Vista ganha reparos
Lixo e abandono na casa de Clarice
Caindo sobrado onde nasceu Nabuco
Praça Maciel Pinheiro pede socorro

Sessão Recife Nostalgia: Ponte Giratória que não gira
Forte do Buraco: Tombado, destombado e tombado de novo
Movimento Negro e Travessias

Serviço
O quê: Temperos da Rosa no Hotel Central
Onde:
Pedidos: 985337384 ou 30397733
Pratos: Feijoada brasileira, com arroz, farofa e vinagrete (R$ 30); Arrumadinho de carne de sol (R$ 25); Charque desfiada, com farofa de cuscuz (R$30); Frango à parmegiana (R$ 17); Bife acebolado (R$22); Fígado acebolado (R$ 17); Peixe frito R$ 25). Há, ainda, sobremesas: Doce de banana (aquele, maravilhoso, de rodinha; Delícia de abacaxi; e o clássico pudim de leite condensando, com calda de ameixa. Todos os doces custam R$ 5 a porção.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Denaldo Coelho (Bora Preservar) e Letícia Lins (Acervo #OxeRecife)

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.