Lixo Zero vem aí. Será?

Lixo Zero. Será que existe? Há quem garanta que sim. Isso porque há cidades onde o lixo é totalmente aproveitado. Os detritos orgânicos são transformados em adubos, enquanto os recicláveis são totalmente reaproveitados. Parece utopia, mas existe. Em Pernambuco, infelizmente ainda existem lixões. E no Recife, é só o que a gente vê no meio das ruas, nas calçadas, nos terrenos vazios: metralhas, animais mortos, garrafas pets, tralhas.  Até nos rios.

Com a pandemia, as casas de eventos estão sem funcionar. Mas lembro-me que antes da Covid-19 era difícil caminhar pelas calçadas da Avenida Dezessete de Agosto, que era um corredor de festas. Todas as casas de recepções, restaurantes, bares, não separavamm o lixo. De manhã, as calçadas ficavam cheias de caixas de papelões, latas, garrafas, tudo misturado. Custava nada separar? Facilitaria, e muito, a vida de um batalhão de pessoas que logo cedo se davam ao trabalho de separar o que poderiam utilizar para vender: papelões, metais e plásticos. Impressionava, também, a quantidade de garrafas de vidro descartadas. O preço do vidro está baixo e a “mercadoria” não interessa mais às cooperativas de catadores. Um bom assunto, pois, para se discutir no encontro.

Esta é uma cena comum no Recife, seja em bairros mais populares quanto nos sofisticados: lixo sobrando .

Por conta daquela e outras, é de se comemorar que Pernambuco vá sediar o Congresso Internacional Metrópoles Lixo Zero (Zero Waste Metro Cities). Parceria para realização do evento foi fechada nesta semana, entre o Governador Paulo Câmara (PSB) e representantes do Instituto Internacional para Meio Ambiente ((cima) e Lixo Zero Brasil  (ILZB).

O encontro ocorre em novembro de 2021, de forma híbrida (presencial e virtual). E tem como objetivo debater alternativas internacionais, nacionais e regionais de redução ao máximo do descarte de materiais e o impacto ambiental causado pela geração de lixo. O  público-alvo do congresso são gestores públicos estaduais e municipais, parlamentares, gestores de entidades, empresários, educadores e cidadãos. A ideia é unir esses atores para acelerar a organização social e a estrutura econômica visando atingir o objetivo do Lixo Zero. “A realização de um evento como esse faz com que a gente pense na mudança”, destaca o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti. De acordo com o ILZB, o conceito do Lixo Zero busca guiar, por meio de metas éticas e econômicas, a mudança no modo de vida das pessoas, de forma a incentivar os ciclos naturais sustentáveis. Nesse contexto, todos os materiais são projetados para permitir sua recuperação e uso pós-consumo.

Leia  também:
Lixo oficial permanece à margem do Capibaribe
Lixo oficial à margem do Capibaribe, cidade entregue e prefeito impopular 
Metralhas à margem do Capibaribe foram colocadas pela Prefeitura. Pode?
Reciclagem de plástico rende corrimão e utensílios domésticos nos morros
Culinária sustentável: Iguarias com cascas de banana, bagaço de coco
O lixo que virou lixeira
A democrática mais vida teimosa
Centro precisa de “Mais vida”
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza em seis estados, inclusive PE
Maquininha de passar cartão com plástico reciclado
Lixo plástico vira cinema nas escolas
Plásticos nas praias viram embalagens
Canudos plásticos de praias viram óculos: a natureza agradece
Nestlé quer plástico biodegradável
Noronha reforça Plástico Zero
Campanha contra plástico rende prêmio
Colete três plásticos na areia
Mar: mais plásticos do que peixes em 2050
Canudos da praia viram óculos: A natureza agradece
Óculos ecologicamente corretos feitos com plásticos coletados no mar
As garrafas biodegradáveis da Bacardi
O Recife e os procos urbanos
O porco bicho e o humano porco
Lixo fecha calçadas
O que é a sujeira no mundo?
Emlurb limpa, mas não multa os porcalhões
O Recife dos porcalhões
Faxina na Zona Norte. Só ela resolve?
A peleja da Emlurb com os porcalhões
Ecoponto é o retrato da qualidade da coleta seletiva no Recife
Ecoponto: “Tudo junto e misturado”

 

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.