Panela do Jazz é virtual e faz tributo a Moacir Santos no final de semana

O ambiente tinha tudo a ver: noites de verão, o bucólico bairro do Poço da Panela e música da melhor qualidade. É ali onde desde 2018 acontece anualmente o Festival Panela do Jazz, que chegou a atrair mais de 10 mil pessoas em edições anteriores. O festival, um dos principais espaços de projeção do gênero no estado, foi cancelado em 2020 devido à pandemia. E não pode ocorrer nas ruas em 2021, ainda por conta da Covid-19. Se o índice de contaminação cair, talvez aconteça ao vivo em novembro, durante a Semana de Consciência Negra. Mesmo sem a pandemia dar trégua, o evento acontece nesse final de semana.  Só que será virtual. Ou seja, desembarca na internet, durante o sábado (20) e o domingo (21) de fevereiro.

O evento de 2021 – acessível para o mundo inteiro – reúne expoentes da música pernambucana cuja trajetória é pontuada por apresentações elogiadas Brasil afora. O primeiro dia da programação conta com shows de Dois de Paus (com participação de Nena Queiroga), Augusto Silva & Frevo Novo e Amaro Freitas Trio (foto central). O segundo tem Aglaia Costa, SerTão Jazz (com Amanda Cabral e Karol Maciel) e Spok Quinteto (foto superior). Os artistas subirão ao palco montado no Fábrica Estúdio, no bairro da Várzea. E o evento faz tributo ao grande Moacir Santos, que muitos reverenciam como “diamante negro”  e que tem entre os destaques de sua obra o antológico disco Ouro Negro,  originalmente gravado cinco anos  antes de sua morte.

As apresentações seguirão todos os critérios sanitários definidos pelas autoridades. As performances serão transmitidas ao vivo pela plataforma do Panela no YouTube e nas redes sociais.  Todas as atrações selecionadas para o evento dialogam com o vigor artístico da obra do maestro, arranjador, compositor e multi-instrumentista pernambucano Moacir Santos (1926-2006), homenageado da edição virtual. Caso a pandemia arrefeça com a vacinação, a edição  física pode ocorrer no bairro do Poço da Panela, em novembro, durante a Semana da Consciência Negra. O tema deste ano , A musicalidade afro-brasileira no experimentalismo do jazz,  é inspirado na vida e na vasta produção do artista, que nasceu em  Talhada, Sertão do Estado.

Moacir Santos era radicado nos Estados Unidos e consagrado em palcos internacionais através de obras icônicas e parcerias celebradas com nomes da dimensão de Vinicius de Moraes e Kenny Burrell.  A curadoria do Panela do Jazz em 2021 fica a cargo do contrabaixista, arranjador, compositor e produtor musical Bráulio Araújo, a quem coube a missão de montar uma grade artística alinhada à essência múltipla da obra de Moacir Santos.  O Festival se tornou possível devido à  Lei Aldir Blanc – fomento emergencial aprovado pelo Congresso para ajudar a cena musical prejudicada pela suspensão dos shows em virtude da pandemia da Covid-19. O idealizador do Panela do Jazz é o produtor cultural Antonio Pinheiro.

Leia também:
O bucólico Poço tem Panela do Jazz
Chorinho e jazz nordestino  no Poço
O Poço das Artes de Clarissa Garcia
Artes, circo e música no Poço Festival
Panela do Jazz vem aí
Panela do Jazz movimenta Poço
Dorival Caymmi, amor e mar no Poço
Chorinho e Jazz nordestino no Poço

SERVIÇO
O quê: Panela do Jazz – edição especial em homenagem a Moacir Santos
Quando: de 18 a 21 de fevereiro
Shows do dia 20, a partir das 16h: Dois de Paus com Nena Queiroga, Augusto Silva & Frevo Novo, Amaro Freitas Trio
Shows do dia 21, a partir das 16h: Agláia Costa, SerTão Jazz com Amanda Cabral e Karol Maciel, Spok Quinteto com Maíra e Moema
Onde assistir: canal do Panela do Jazz no YouTube

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Festival Panela do Jazz /  Divulgação 

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.