Raul Lody revisita Gilberto Freyre

Falou em Raul Lody, é bom.  Antropólogo, museólogo, escritor, desenhista, fotógrafo, é autor de cerca de 70 livros, alguns literalmente deliciosos. Entre eles, Coco, comida, cultura e patrimônio; Brasil bom de boca; Bahia bem temperada e Kitutu. Tem até dicionário sobre doces. Agora ele acaba de lançar Brasileirismos e conexões em Gilberto Freyre. O novo livro do também antropólogo e pesquisador foi publicado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), e é ilustrado pelo próprio autor.

São 252 páginas, reunindo 25 artigos escritos por Raul Lody que relacionam seu olhar antropológico aos grandes temas tratados por Gilberto Freyre em sua vasta obra. Um trabalho importante, principalmente para aqueles que se dedicam a estudar a tão extensa obra do autor  de Casa Grande e Senzala, Sobrados e Mocambos e Ordem e Progresso. Na verdade, o livro é uma homenagem ao mestre de Apipucos, com quem Lody manteve uma profunda relação de amizade ao longo de dez anos (1977-1987).

“Os artigos abordam as matrizes étnicas na multiculturalidade brasileira por meio de etnografias que recuperam questões históricas, patrimoniais e contemporâneas. Por tudo isso, o livro é realmente uma série de conexões já amadurecidas na obra de Gilberto e, também, recupera o precioso tempo que pude conviver com ele”, destaca.  Desde 1972, Raul Lody tem se concentrado no estudo de importantes eixos da formação identitária brasileira: a arte e a cultura popular, a antropologia da alimentação, a cultura e patrimônio de matriz africana. É autor de uma obra plural, com cerca de 980 títulos, entre pesquisas, artigos, textos para jornais e revistas, roteiros de cinema e vídeo, obras coletivas e mais de 70 livros já publicados.

Formado em Etnologia e Etnografia pelo Instituto de Antropologia da Universidade de Coimbra, com especialização no Instituto Fundamental da África Negra (Dakar) e doutorado pela Universidade de Paris, tem seu trabalho reconhecido por inúmeras premiações nacionais e internacionais.  Antropólogo, museólogo, curador, escritor, desenhista, ilustrador e fotógrafo carioca, Raul Lody tem sua produção intelectual fortemente influenciada por Gilberto Freyre, do qual se considerava um aluno. Seu novo livro vem ratificar essas múltiplas interseções também evidenciadas em outros títulos já lançados, como À mesa com Gilberto Freyre (2007); Do mucambo à casa grande, desenhos e pinturas de Gilberto Freyre (2007);  Caminho do Açúcar (2012) e A cozinha pernambucana em Gilberto Freyre, um encontro entre povos e culturas (2013). “Conhecer Gilberto, certamente, foi iniciar uma profunda imersão no Brasil; principalmente no Nordeste, em Pernambuco e no Recife”, assegura.

Veja, abaixo, outras postagens sobre publicações da Cepe

Leia também:
Premiada, Mary Del Priori  é atração de Circuito Cultural
João Cabral não é um iluminado é um iluminador
O levante dos camponeses
Editoras contra elitização do livro
Aventura literária no Olha! Recife
Carlos Pena Filho: Desejos presos na APL
Carlos Pena Filho: trinta copos de chope
Litoral Sul ganha tenda literária
Sidney Rocha  preside Conselho da Cepe
O lado editor do escritor Sidney Rocha
Carlos Pena Filho: “são trinta copos de chope” e memórias no Museu do Estado
Joca e seus diálogos improváveis
Você tem fome de quê? De livros
Ditadura: a dificuldade dos escritores
Pensem, em 1964 já tinha fake news
Livro oportuno sobre a ditadura
Livro revela segredos da guerrilha 
Anco Márcio resgata a obra de Luiz Marinho
Tereza: uma mulher em três tempos
Miró estreia livro infantil
Clube da Leitura: livros com desconto
Compra de livros sem gastar tostão
Arruar mostra o Recife do passado
O dia que esqueci que sou repórter
Livro mostra os jardins históricos do Recife
O Recife pelas lentes de Fred Jordão
Carnaval: cinco séculos de história
Nação Xambá: 88 anos de resistência
Boa Viagem ao Brasil do século 17
O lado musical da Revolução de 1817
De Yaá a Penélope africana
Você tem fome de quê? De livros
“Rapaz da portaria” escreve 37 livros
Recife: pontes e “fontes de miséria”
Festival “A Letra e a Voz” se rende a Miró
Clube de leitura: livros com descontos
Alunos  fazem livros sobre 20 bairros
Conversa com Sidney Niceas na Academia
“Enterrem meu coração na curva do rio”
Compra de livros sem gastar tostão

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Cepe / Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.