Ibope: João Campos joga pesado e reverte vantagem de Marília

A estratégia do PSB de desconstruir a candidatura de Marília Arraes (PT) à Prefeitura do Recife parece  estar dando certo.   Apontado como favorito em todas as pesquisas divulgadas durante a primeira fase da campanha eleitoral, João Campos (PSB) confirmou a vantagem (29,17 por cento) nas urnas no último dia 15 de novembro, e agora não mede esforço para retomar a liderança. De acordo com a pesquisa do Ibope divulgada nessa quarta-feira, o socialista teria 51 por cento dos votos válidos se a eleição fosse hoje.  Já a petista, ficaria com 49 por cento. É empate técnico? É.  Portanto, o que vai ocorrer no Recife é um enigma. A diferença de dois pontos também ocorre nas intenções de voto: 43 por cento para o PSB e 41 por cento para o PT.

Na primeira rodada do segundo turno, Marília aparecia em vantagem de seis pontos. Tinha 45 por cento, enquanto João ficava em 39 por cento. Mas diante da pequena diferença entre PT e PSB e da possibilidade de vitória,  João Campos iniciou, então, uma campanha mais agressiva contra a prima, hoje sua principal adversária política.  Nos últimos dias, o eleitor do Recife vem sendo bombardeado com constantes trocas de insultos, panfletos anônimos, áudios e vídeos disseminados nas ruas e redes sociais que até associam ao “demônio” lideranças políticas do PT que apoiam Marília, como é o caso do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segunda colocada no primeiro turno com 27, 95 por cento dos votos, a petista tem enfrentando muita sordidez, nos dias finais da campanha do segundo turno. “Vamos interromper o debate  sobre o futuro para falar sobre o debate ainda presente mas que são omitidos pela candidata Marília”, anunciou, hoje,  a propaganda eleitoral do PSB na TV. “O MP pediu a condenação de Marília para contratação de funcionários fantasmas. Agora, o deputado Túlio Gadelha (PDT), seu aliado, sugere que ela faz rachadinha no gabinete”. E adverte: “O Recife não merece uma prefeita do PT processada pelo MP na justiça”. Em seguida, a propaganda do candidato oficial mostra uma série de iniciativas da gestão Geraldo Júlio (PSB) e afirma que se o PT vencer a eleição “o Recife vai andar para trás”.  Cita iniciativas como a  Academia Recife, a faixa azul, o passe livre, restaurante popular e abrigo noturno, ciclofaixas. “Se o passado votar, o Recife ficas sem nada”, afirma o guia eleitoral do PSB, em referência ao retrocesso que uma nova gestão do PT representaria para a cidade. As imagens mostram os pés de pessoas andando como caranguejos: para trás.

No vídeo exibido na propaganda, no entanto, o Recife do PSB parece um “brinco”, uma cidade muito bem cuidada, bem diferente da  desastrosa realidade urbana que se vê nas ruas  da cidade e que levaram o prefeito Geraldo Júlio a ser apontado como o mais impopular do Nordeste e o quinto pior do Brasil.  Marília Arraes por sua vez, afirma estar diante de uma política “cruel” de agressões, porque  como quem está à frente “é uma candidata mulher, o ataque é mais pesado e cruel, porque vem cheio de machismo e desrespeito”.  No caso, estava  à frente. Porque pela nova rodada do Ibope, a petista agora voltou para a segunda colocação. No PT, o clima já era de euforia. No PSB, a disposição era para usar todas as armas. Valeu até  questionamento das convicções religiosas da petista.“Quem é mulher sabe disso, porque convive com isso todos os dias, seja quando está em busca de vaga de emprego ou lutando para ser a primeira prefeita de uma cidade”, afirma uma apresentadora. “O desespero do PSB que hoje ataca Marília, ataca todas as mulheres. Porém a eleição acaba domingo, mas o desrespeito não pode acabar”.  Agora deve vir mais jogo sujo por aí. Só não se sabe de onde partirá.

Leia também:
Debate: Campanha do ódio
Direita pede votos para João Campos porque “Lula tem pacto com o demônio”
Campanha vira lavagem de roupa suja
PSB: Dá para acreditar? Nunca fez nada pelo Recife e quer ser prefeita
Segundo turno começa a esquentar temperatura. Debate foi só o inicio
A virada de Marília Arraes
A nova cara da Câmara Municipal
TRE, idosos, pandemia e santinhos
João Campos deve disputar segundo turno com a prima Marília
A voz do eleitor: “Gostaria de ver o Recife como uma cidade mais organizada”
A voz do eleitor: “O Recife precisa de um prefeito que não seja cara de pau”
A voz do eleitor: “Por um Recife com igualdade social e ruas sem lixo”
A voz do eleitor: “Um Recife mais limpo, mais saudável, mais agradável”
A voz do eleitor: “Quero um Recife mais humano, disciplinado e consciente”
A Voz do eleitor: Gostaria que o Recife fosse uma cidade mais humana
A Voz do eleitor: “Quero a volta do orçamento participativo”
A voz do eleitor: “Gestão inclusiva, justa e participativa”
A Voz do eleitor: Espero competência, honestidade, dignidade
A Voz do eleitor: “Que o próximo gestor faça uso correto do dinheiro público”
A  Voz do eleitor: Uma cidade justa, limpa e muito bem cuidada 
A Voz do eleitor: Mobilidade, controle urbano, história preservada, cidade parque
A Voz do eleitor: Saneamento, mobilidade, saúde, patrimônio protegido
TCU: 10.000 candidatos receberam auxílio emergencia, treze em Pernambuco
Eleições municipais, 2020: Pernambuco tem 1.140 fichas sujas
O debate e perguntas sem respostas
Chame, chame a delegada
Cuidado com a Covid no dia da eleição
Lixo oficial à margem do Capibaribe, cidade entregue e prefeito impopular 
E os 50.000 títulos de regularização fundiária?
Sessão Recife Nostalgia: “Quando a cidade era cem por cento saneada)

Você está feliz com o Recife?
O índice de felicidade urbana do Recife
Viva 2018, Recife
O Recife que queremos, em 2019
Recife, cidade parque em 2037
Aos 483, o Recife é lindo?
Recife se prepara para os 500 anos
Uma cidade boa para todo mundo
Pobre Recife. Será que isso vai mudar?

Texto: Letícia Lins /#OxeRecife
Foto: Reprodução da TV

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.