A Voz do Eleitor: “Quero um Recife mais humano, disciplinado e consciente”

Maria do Carmo Silva Oliveira, a Sinha, reside em um alto do Recife, Serra Pelada, na Zona Norte da Capital. Sua vida não foi fácil. Lembra que, quando criança, tudo faltava em casa. Ao ponto de, aos nove, ela ter começado a trabalhar para ajudar a numerosa família.

Mas Sinha não se queixa da vida. É daquele grupo que faz muito com pouco. Sem condição de mobiliar a casa, quando casou, decidiu aproveitar os descartes que achava pelas ruas.  Ficou surpresa com o que achava no lixo. Decidiu, então reaproveitar madeiras, garrafas, plásticos e outros materiais.

Não demorou muito e os vizinhos começaram a solicitar os seus produtos. Hoje, Sinha vive do seu artesanato. E o artesanato dela  é todo confeccionado tem como matéria prima os descartes alheios. Ou seja, o lixo. Foi a partir dele, que Sinha passou a construir o seu sustento e o da família. Por isso, o Recife que ela quer é uma cidade mais organizada quanto à coleta do lixo. Mas deseja outras coisas também para a cidade e Serra Pelada, onde nasceu e se criou.

O Recife que eu quero é um Recife onde a população tenha acesso a moradia, saneamento básico, oferta de serviços públicos de saúde de boa qualidade e segurança. Também desejo um Recife mais humano, onde haja mais respeito entre as pessoas e uma cidade mais consciente e mais disciplinada na questão do lixo. Acredito que a questão da limpeza pública e ausência de uma boa coleta seletiva sejam dois grandes problemas da cidade.

Quanto ao próximo gestor, gostaria que fosse um político mais participativo e mais presente,  que ouvisse mais a comunidade. Infelizmente, a cada eleição a cena se  repete, pois eles aparecem para pedir voto e depois somem. Os altos do Recife precisam de barreiras de contenção, e as promessas surgem a cada eleição. Depois são esquecidas. Aliás, as comunidades são esquecidas, depois do voto. Isso é ruim.

Sinha não se queixa da vida. É uma pessoa alegre, que aprendeu a driblar as dificuldades em busca da sobrevivência. À cata de votos de gente como ela, vários candidatos estão prometendo microcrédito, com juros baixos e até mesmo com parte do financiamento a fundo perdido. Vamos ver depois das eleições….

Leia também:
A Voz do eleitor: Gostaria que o Recife fosse uma cidade mais humana
A Voz do eleitor: “Quero a volta do orçamento participativo”
A voz do eleitor: “Gestão inclusiva, justa e participativa”
A Voz do eleitor: Espero competência, honestidade, dignidade
A Voz do eleitor: “Que o próximo gestor faça uso correto do dinheiro público”
A  Voz do eleitor: Uma cidade justa, limpa e muito bem cuidada 
A Voz do eleitor: Mobilidade, controle urbano, história preservada, cidade parque
A Voz do eleitor: Saneamento, mobilidade, saúde, patrimônio protegido
Cientistas e médicos: Vidas são mais importantes do que cargos políticos

TRE: Aglomerações políticas podem virar caso de polícia
Procissões e carnavais eleitorais esquecem a pandemia
Eleições municipais, 2020: Pernambuco tem 1.140 fichas sujas
Chame, chame a delegada
Lixo oficial à margem do Capibaribe, cidade entregue e prefeito impopular 
E os 50.000 títulos de regularização fundiária?
Sessão Recife Nostalgia: “Quando a cidade era cem por cento saneada)
Campanha política ignora pandemia

Eleições municipais, 2020: Pernambuco tem 1.140 fichas sujas
Você está feliz com o Recife?
O índice de felicidade urbana do Recife
Viva 2018, Recife
O Recife que queremos, em 2019
Recife, cidade parque em 2037
Aos 483, o Recife é lindo?
Recife se prepara para os 500 anos
Uma cidade boa para todo mundo

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Cineclube Luila e Pretinha / Acervo #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.