Vacinação em ano de pandemia. Campanha tenta recuperar tempo perdido

Apesar da pandemia e da necessidade de isolamento social, hoje – com certeza – não é dia de ficar em casa. É que pais e responsáveis por crianças e adolescentes menores de 15 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) estão sendo convocados para participar neste sábado (17/10), do Dia D da Campanha de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação. Tudo para recuperar o tempo perdido durante a pandemia, quando houve grande retração na procura por imunizantes. Serão ofertados todos os imunobiológicos indicados para essa população, que deve ser imunizada caso haja alguma dose em atraso. Além disso, meninos e meninas entre 1 e menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) devem fazer uma dose indiscriminada contra a poliomielite, caso já tenham finalizado o esquema básico dessa doença. É importante que a população procure saber com a secretaria de Saúde do seu município os locais que estarão abertos para acolher os jovens durante a ação.

“Esta campanha de vacinação é essencial para elevarmos as coberturas vacinais contra diversas doenças”, diz o Secretário Estadual de Saúde, André Longo. Ele manifestou preocupação com a menor demanda de vacinas nos postos de saúde. “Tivemos uma queda na adesão às vacinas em 2019 e neste ano, com a pandemia da Covid-19, já notamos uma diminuição na procura pelos imunobiológicos”, diz. “Por isso, este momento é necessário para atualizar as cadernetas de vacinação, proteger as crianças e adolescentes e prevenir contra diversas doenças”. Lembra que vacinar é uma forma de evitar o aumento de enfermidades preveníveis ou até mesmo epidemias, além de reintrodução de doenças que não são registradas há anos no Brasil, como é o caso da poliomielite (paralisia infantil). Até o momento, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), por meio do Programa Estadual de Imunização, já distribuiu mais de 2,6 milhões de doses de vacinas para os municípios, sendo mais de 693 mil contra a polioemielite.

Para as crianças abaixo de 7 anos, as unidades disponibilizam os seguintes imunizantes: BCG, hepatite B, pentavalente, poliomielite, rotavírus, pneumocócica 10, meningocócica C, febre amarela, tríplice viral, varicela, hepatite A e DTP. A partir dos 7 anos, até os menores de 15, podem ser feitas as doses da hepatite B, febre amarela, meningocócica ACWY, HPV e varicela.  “O Dia D é sempre importante para ampliar as coberturas vacinais durante as campanhas. Neste ano, apesar de todos os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus, queremos manter essa tradição”, afirma  a Superintendente de imunizações da SES-PE, Ana Catarina de Melo. “Este é um momento importante para levar proteção às crianças e aos adolescentes, evitando diversas doenças que podem deixar sequelas irreversíveis e até mesmo levar ao óbito”, pontua.

Recomendações de segurança sanitária foram repassadas aos gestores municipais para garantir a segurança de todos envolvidos durante a campanha, como utilizar espaços abertos ou ventilados, manter o distanciamento entre as pessoas, realizar a desinfecção frequente dos ambientes, garantir local adequado para higienização das mãos e fazer a triagem de pessoas com sintomas respiratórios antes de entrar na sala de vacina, para evitar a propagação da Covid-19. Em casos febris, orienta-se aguardar o reestabelecimento do quadro clínico para que não se atribua à vacina manifestações da doença. Em casos sugestivos ou confirmados da Covid-19, orienta-se manter o isolamento por pelo menos até 3 dias depois do desaparecimento dos sintomas, com tempo mínimo de isolamento de 14 dias do início da sintomatologia. Só após isso é indicado procurar o posto de saúde para a imunização. Para os contatos, mesmo assintomáticos, também orienta-se aguardar os 14 dias.

Leia também:
Pandemia: Vacinação antirrábica de casa em casa para bichanos e totós
Vírus da Zika também é transmitido por via sexual
União Mãe de Anjos em fotografias
Fiocruz-PE: Pesquisa abre caminho contra o novo coronavírus
Cientistas contestam Bolsonaro: Avanço da medicina não pode ser ignorado
Síndrome de Down: Expedição 21
Liana Ventura: reconhecimento internacional

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Miva Júnior / Divulgação / SES-PE

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.