Apipucos: Adeus às antigas luminárias

O que você faria? Restauraria as antigas luminárias e as bases  de ferro fundido que as sustentam ou as trocaria por outro modelo, sem dar nenhum trato aos ornamentais e antigos postes? No meu caso, optaria pela primeira alternativa. Ainda mais porque a Praça de Apipucos é área de preservação, tem casario antigo, não se verticalizou e não possui nenhum prédio moderno. Portanto, sua feição original deveria ser mantida, como ocorreria em qualquer cidade que que preserva sua paisagem.

Mas no Recife, todas as luminárias  – inclusive as antigas – estão sendo substituídas por outras com luzes de LED.  Quando me viu observando a mudança, o primeiro comentário do servidor da Emlurb que comandava a equipe de funcionários que realizava as trocas foi: “Vai ficar muito mais bonito, muito mais moderno”. Esse é o problema, o logradouro não é moderno. É antigo. E como tal, seus equipamentos tinham, sim, que ser preservados. Ou seja: troca-se o “antigo” pelo “novo”, sem levar em conta a importância do “velho”.

Ao meu ver, bastaria dar uma mão de tinta nos postes que estão com ferrugem.. E se não cederam, é porque são antigos. E são bons, pois são de uma época que os materiais utilizados eram feitos para vida longa. Os de hoje são totalmente descartáveis. É só comparar a qualidade dos materiais. Quem garante que as novas luminárias não sofrerão rápida corrosão? As antigas, que estão sendo retiradas eram lindas. Como lindas eram as das pontes do Recife, que foram substituídas ao longo do tempo por outras ditas “modernas”, que pouco têm a ver com a paisagem original.

Sei não, mas são com pequenas mudanças como essas (e depois com as grandes) que as cidades perdem a própria identidade. O Recife já perdeu seus bondes, ônibus elétricos, trilhos, Igreja dos Martírios, arcos, lampiões antigos. As pontes do centro do Recife,  por exemplo, além de ter perdido as luminárias ainda são visualmente poluídas por um emaranhado de fios, como ocorre na Duarte Coelho, que liga a Avenida Conde da Boa Vista à Avenida Guararapes. Sinceramente, em Apipucos eu preferiria os postes restaurados com as luminárias originais, que funcionavam a contento. Só não tinham luz de LED. Será que não havia como fazer a adaptação? Afinal, tem tecnologia para tudo.

Se prédios antigos ganham serviços como centrais de ar condicionado,  será que não havia como conservar as luminárias originais e restaurar os postes antigos? A Praça de Apipucos, aliás, está bastante degradada. O gramado se foi, os bancos estão necessitando de reparos e pintura e, como se tudo isso não bastasse, ainda é maltratada por frequentadores que a utilizam como banheiro de seus caninos (sem recolher as fezes dos animais) e, muitas vezes, para depósito de lixo (sem que este esteja devidamente acondicionado). É uma pena? É. Principalmente quando a população não ajuda, e o poder público se omite. Ou quando comete equívocos como o deste sábado. Agora não custa nada perguntar. Qual será o destino das antigas luminárias?

Leia também:
Parque Apipucos sofre incêndio
Parque Apipucos começa a desabar
Metralhas poluem Apipucos
Apipucos sucumbe ao lixo
Açude de Apipucos virou um lixão
Macaco prego aparece em Apipucos
Metralhas poluem Apipucos
Apipucos pede socorro
Cineclube ao ar livre em Apipucos
Serra Pelada de Sinha é só riqueza
Pátio de São Pedro está sendo pilhado
Que horror: Pátio de São Pedro fica sem lampiões até depois de julho
Cadê os lampiões da Ponte Velha?
Ponte da Boa Vista ganha abraço
Ponte da Boa Vista pede socorro
Ponte da Boa Vista: efetuada reposição mas faltam reparos
Bonde vira peça de museu e trilhos somem do Recife sem memória
Secular Magitot vira ruína na Várzea
Poço da Panela e a briga de gigantes

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.