Sessão Recife Nostalgia: Quando a Agenda Cultural da cidade era impressa

Em finais do século passado, todo mundo ficava de olho na Agenda Cultural do Recife. Com a revistinha  do tamanho de um folheto, do meio da rua mesmo, a pessoa decidia para onde ir. Era um guia e tanto. O formato foi idealizado exatamente para que o recifense andasse com a agenda. E ela se apresentava com fartura. Achávamos o guia mais recente na portaria dos teatros, dos hotéis, dos cinemas, em casas de shows, museus, livrarias. Até em shopping centers.  A Agenda foi criada para dar as dicas culturais da cidade. A edição impressa, infelizmente, ficou só na saudade.

Hoje é ela apenas virtual, mas cumpre o mesmo objetivo de quando foi criada. Para celebrar os 25 anos de atividades –  que serão completados em  31 de agosto – acontece, a partir desta quinta-feira (13/8), uma série de três lives com atores, produtores e realizadores culturais da cidade para tratar das tradições, vocações e prospecções da cultura na efervescente capital pernambucana. Que, infelizmente, está com palcos e manifestações de ruas paradas, devido à pandemia. Atualmente disponível apenas na Internet,  a publicação  pode ser acessada no seguinte endereço: http://agendaculturaldorecife.blogspot.com.

Idealizada pelo jornalista, ator, diretor, agitador cultural e poeta Manoel Constantino (foto), a Agenda Cultural  foi lançada em  edição impressa, em 1995, quando Jarbas Vasconcelos (MDB) era Prefeito do Recife. A ideia da Agenda Cultural  foi do Raul Henry, à época Presidente da Fundação de Cultura do Recife. Ele se inspirou em modelo que vira, em viagem à Espanha.  Desde então, Manoel Constantino está à frente da iniciativa que, no começo, contava com equipe de dez pessoas, entre repórteres, estagiários, secretária, administração e programador visual. “Queríamos algo cujo formato coubesse no bolso das  calças e camisas dos homens e nas bolsas das mulheres”, conta ele.

E lembra que a Agenda também trazia crônicas, artigos e notícias de toda a cadeia produtiva. A primeira edição teve 3 mil exemplares, a segunda pulou para 5 mil. “Mas nas datas festivas esse número chegava a mais de 10 mil, lembra. ” E houve ocasiões, no carnaval, que chegamos a publicar e distribuir 50 mil exemplares”, diz Manoel Constantino ao #OxeRecife. Em 2011, foi criado um Blog da Agenda Cultural. Mas a partir de 2015,  já na gestão Geraldo Júlio (PSB),  não houve mais edição impressa. Hoje, a equipe que posta a Agenda na  Internet possui apenas três pessoas. “Criamos o Blog em 2011, e a partir de 2015,  Agenda Cultural passou a ser apenas virtual”, lembra Constantino.  “Continuamos persistentes, tendo atingido, até o momento, mais de 2,6 milhões de pessoas do mundo inteiro”, afirma. “No último mês de julho, tivemos 175.687 leitores”, celebra. A  página é atualmente mantida pela Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura Cidade do Recife.

Já as lives serão transmitidas no Instagram da Agenda Cultural (@agendaculturaldorecife_), nas próximas quintas-feiras 13, 20 e 27 de agosto, sempre às 16h, com os seguintes temas e convidados.

Leia também:
Sessão Recife Nostalgia: Quando a cidade quase vira Beirute
Sessão Recife Nostalgia: Os quintais de nossa infância
Sessão Recife Nostalgia: Ponte Buarque Macedo e a sombra magra do destino
Sessão Recife Nostalgia: Teatro Santa Isabel e a luta abolicionista
Sessão Recife Nostalgia: Herculano Bandeira e os jagunços do Palácio
Sessão Recife Nostalgia: pastoril, Villa Lobos, e piano na Casa do Sítio Donino
Sessão Recife Nostalgia: Beco do Veado e outros becos
Sessão Recife Nostalgia: Solar da Jaqueira
Sessão Recife Nostalgia: a Viana Leal
Sessão Recife Nostalgia: os cafés do século 19, na cidade que imitava Paris
Sessão Recife Nostalgia: os banhos noturnos de rio no Poço da Panela
Sessão Recife Nostalgia: Maurisstad, arcos e boi voador
Sessão Recife Nostalgia: Ponte Giratória
Sessão Recife Nostalgia: Quando a Praça do Derby era um hipódromo
Sessão Recife Nostalgia: O parque Amorim e a lenda do Papafigo
Sessão Recife Nostalgia: a coroação da Rainha do Recife e de Pernambuco
Sessão Recife Nostalgia: Casa de banhos e o fogo das esposas traídas
Sessão Recife Nostalgia: o Restaurante Flutuante do Capibaribe
Sessão Recife Nostalgia: Sítio Donino e seu antigo casarão ameaçado

Serviço:
O quê: Programação de lives para comemorar os 25 anos da Agenda Cultural do Recife
Dia 13
A Cultura e as crianças
Com: Poeta Edgar Diz (Projeto Educando em Cordel), Luciano Pontes (Doutores da Alegria) e
Bruna Peixoto (Tapete Voador)

Dia 20
A Cultura: ferramenta da cidadania
Com: Mônica Lira (bailarina e coreógrafa), Camilo Cavalcanti  (cineasta) e Carlos Moura (empresário e dono do Bar Teatro Mamulengo)

Dia 27
A Cultura: um caminho poético de e para a liberdade
Com: Maestro Forró (músico), Márcia Cruz  (atriz e empreendedora cultural), Felipe Júnior (poeta)

Na Frei Caneca –  Para celebrar o aniversário da Agenda Cultural, a Frei Caneca transmite, a partir das 15h de hoje (12), uma conversa de Manoel Constantino e vários convidados surpresa com Nice Lima e Patrick Torquato, excepcionalmente reunidos na mesma faixa para celebrar a Agenda, que virou compromisso imperdível com a cultura recifense.

Texto: Letícia Lins /#OxeRecife
Fotos: Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.