Vem dinheiro para quiosques da praia

O aviso é da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco. E chegou hoje. É que após informação divulgada aqui no #OxeRecife, a respeito da triste situação da praia de boa Viagem –  cujos quiosques e bancos do calçadão estão caindo aos pedaços – a AGE informa que o governo do Estado acaba de formatar uma linha de crédito especial para atender aos comerciantes dos quiosques de coco da orla da praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. O valor dos empréstimos varia de R$ 3 mil (pessoa física) a R$ 10 mil (empreendedores individuais, os chamados Meis). E não tem muita burocracia, pois — preenchendo os requisitos – o dinheiro já cai na conta bancária dos vendedores.

“A criação do financiamento, por meio da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE), atende à demanda de representantes da Associação dos Barraqueiros de Coco do Recife (ABCR), que acabam de retomar as atividades, após mais de 100 dias fechados, por causa da pandemia do novo Coronavírus”, informa a AGE. A taxa de juros é de 1,49% ao mês, para quem pagar as parcelas em dia.

Em ambos os casos, a operação financeira será de no máximo 15 meses, assim divididos: o prazo de carência é de 90 dias, com mais 12 meses para quitar as parcelas. É possível solicitar tanto a linha de crédito individualmente quanto em grupo solidário, de três até cinco pessoas. Dúvidas podem ser tiradas pelo Disque AGE (0800 081 8081) ou por e-mail (negocios@age.pe.gov.br). A AGE funciona de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 12h30 e das 14h às 18h.

Veja, no serviço abaixo, o que é necessário para ter acesso ao crédito. O dinheiro funcionará como capital de giro para compra de mercadorias ou algum tipo de esquipamento. Mas não poderá ser usado no conserto de quiosques, pois estes são construídos e cedidos pela prefeitura. Ou seja, os barraqueiros – a exemplo do que ocorre nos mercados municipais – são permissionários. Como os quiosques são bens públicos, bem que o governo do município já deveria ter se antecipado e mandado consertar as unidades que foram vandalizadas ou que foram detonadas durante os meses de isolamento social, por conta da pandemia. Pelo visto, faltou cuidado e segurança pública. Cadê as câmeras de monitoramento das nossas ruas?

Leia também:
Abandonada na pademia, Boa Viagem corre atrás do tempo perdido
Boa Viagem ao Deus dará
Boa Viagem é abandonada e quiosques são pilhados
Boa Viagem e nova normalidade: limpeza, silêncio e “paz”
Banho de mar e comércio nos quiosques são liberados
Isolamento deixa areia limpa e sem poluição
Liberadas atividades esportivas
Boa Viagem ainda deserta e sem direito a banho de mar
Boa Viagem abre amanhã mas sem direito a cadeira nem banho de mar 
Cachoeira diverte em Boa Viagem
Boa Viagem tem “Xodó”
Boa Viagem: Asfalto agora tem “dono”
Boa Viagem ganha exposição de fotos
Boa Viagem tem língua negra
Boa Viagem tem esgoto na areia
“Me chama de lagartixa”
O medo do “tubarão” da areia
No feriadão, cuidado com o tubarão
Água no umbigo, sinal de perigo
Boa Viagem ou Bocagrande?
Comer lagosta ovada é não ter coração
Praia do Porto da Barra paraíso urbano
Viaje pelo Brasil Selvagem, Costa Brasileira sem sair de casa

Serviço:
O quê: linha de crédito para quiosqueiros da praia de Boa Viagem
Quanto: R$ 3 mil a R$ 10 mil
Para quem: pessoa física ou microempreendedor que atuem nos quiosques da Orla

O que é necessário:

PARA O CADASTRO INDIVIDUAL
• RG, CNH, CPF;
• Comprovante bancário (conta corrente ou poupança);
• Comprovante de residência atualizado (luz, telefone, água) ou declaração de residência;
• Certidão de casamento e documento de identidade do cônjuge
AVALISTA
• RG, CNH, CPF;
• Declaração do IR ou contracheque atualizado;
• Comprovante de residência (luz, telefone, água) – válido por 30 dias.
• Certidão de casamento e documento de identidade do cônjuge;
• Caso seja divorciado ? Certidão de Divórcio ou Certidão de Óbito, se for o caso.

PARA O MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI)
• Contrato Social ou Requerimento do empresário;
• Certificado da condição de MEI (quando for um empreendimento formal), com faturamento de até R$ 81.000,00/ano;
• CPF;
• RG;
• Certificado do MEI;
• Extrato PGMEI em dia;
• Comprovante de residência atualizado (últimos 2 meses)

GARANTIAS
• Aval solidário (de 3 a 5 pessoas);
• Aval de Terceiros (pessoa idônea com rendimentos suficientes para honrar a dívida);
• Bens, máquinas e/ou equipamentos (novo ou seminovo), exceto nos casos em que o bem constitui objeto do financiamento, que deverá ser nov

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.