Mata Atlântica: Corredores ecológicos

Reforço para a Mata Atlântica. Não é em Pernambuco, mas vale a penas lembrar. Afinal, o bioma – um dos mais ameaçados do mundo – é do Brasil. E dele não restam nem doze por cento de sua cobertura original no país. Então, todo esforço para recompor sua vegetação é válido e digno de registro, desde que feito com responsabilidade, respeitando-se e preservando-se as espécies nativas.  Novas informações em defesa de sua preservação chegam ao #OxeRecife. Dessa vez iniciativa da Nespresso, que desenvolve projeto de recomposição daquele  que é considerado  pela Unesco como  patrimônio natural da humanidade.

A empresa anuncia que nesse ano já foi concluída a primeira fase do projeto, com o plantio de 20 mil mudas em 20 hectares na região da bacia do Rio Pardo, no município de São Sebastião da Grama, em São Paulo. Mudas de árvores como trema, ipê, jequitibá, palmito-jussara, louro-pardo, angico, cereja-do-rio-grande entre outras foram plantadas em fazendas de café  daquela região. O objetivo da iniciativa é que 227 hectares da área sejam restaurados em quatro anos. A Nespresso informou que o investimento inicial foi de R$ 400 mil, mas não informou a previsão de gastos até a conclusão dos plantios, com os quais se espera que sejam criados corredores ecológicos que irão unir fragmentos  e recuperar a mata nas margens dos rios e nascentes.

O trabalho vem sendo feito em parceria com a SOS Mata Atlântica. “Para cada muda patrocinada pela Nespresso, a SOS Mata Atlântica doa outra muda”, informa a Nespresso, que atua no Brasil desde 2006, sendo pioneira em café em porções individuais “da mais alta qualidade sustentável”, segundo a empresa, que possui 32 boutiques no Brasil e 660 funcionários no país. As cápsulas de café individual são tidas como poluidoras, mas a empresa informa que  no Brasil tem investido no sistema de reciclagem de cápsulas e possui mais de 157 pontos de coleta. Todas as informações sobre a Nespresso e o compromisso com sustentabilidade podem ser encontradas no site www.nespresso.com.

A Fundação SOS Mata Atlântica é uma ONG ambiental brasileira criada em 1986 inspirar a sociedade na defesa da floresta mais ameaçada do Brasil, que vem a ser, também, um dos mais ameaçados biomas do Planeta. A instituição atua na promoção de políticas públicas para a conservação da Mata Atlântica por meio do monitoramento do bioma, produção de estudos, projetos demonstrativos, diálogo com setores públicos e privados, aprimoramento da legislação ambiental, comunicação e engajamento da sociedade em prol da restauração da floresta, valorização dos parques e reservas, água limpa e proteção do mar. Os projetos e campanhas da ONG dependem da ajuda de pessoas e empresas para continuar a existir. Saiba como você pode ajudar em http://www.sosma.org.br.

Leia também:
Pernambuco: Mata Atlântica sobrevive
Pulmão do Grande Recife, Apa Aldeia Beberibe completa uma década
Apa Aldeia Beberibe: destruição em bioma em extinção, denuncia Forum
Destruição em área protegida
Conhecendo a Mata Atlântica
O estrago do bambu na Mata Atlântica
As riquezas da Mata Atlântica
Parem de derrubar árvores, Brasil
Desmatamento  na maior reserva de vida silvestre da Mata Atlântica
Novos desmatamento em Aldeia
Desmatamento em pulmão do Recife
Prefeitura destrói área protegida. Pode?
Desmatamentos ilegais em Aldeia
Aldeia tem novos desmatamentos
Novos desmatamentos em Aldeia
Mata Atlântica: PE fez o dever de casa
Lotes irregulares em Mata Atlântica
As “matas” de cimento em Paulista
Legado das Águas, a festa da natureza
Visite o Legado das Águas nas férias
Borboleta rara no Legado das Águas
Antas albinas mobilizam pesquisadores
Esso decide plantar 20.000 árvores para proteger mico-leão-dourado em risco
Ambientalistas preocupados: só restam 1.300 muriquis na natureza
Dia Internacional da Biodiversidade exige pausa para reflexão no Brasil

Pandemia e natureza: animais silvestres ocupam áreas urbanas vazias
Pandemia e a volta das capivaras
Movida planta um milhão de árvores
Mata Atlântica ganha viveiro para produção anual de 100.000 mudas
Cabo ganha 7.450 árvores até 2022

Festival de Aves no Sul da Bahia
A inédita visita do sabiá ferreiro
A volta do jacu
“Arca de Noé” protege corais ameaçados
Recife ficará mais verde até 2021
Parem de derrubar árvores (171)

Emergência climática: Recife mais verde é balela. Parem de derrubar árvores
O Recife tem quantas árvores?
Parem de derrubar árvores (237). Quarteirão pelado na Madalena
Parem de derrubar árvores (238). Golpe de misericórdia na Madalena

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto ilustrativa: Lu Rocha / Semas

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.