O São João “ambulante” da pandemia

Parece um trio elétrico, mas não é.  A foto é da forrovioca, o São João ambulante do Recife, já que em 2020 – por conta da pandemia – ninguém teve direito a fogueira, fogos, quadrilhas juninas, nem à presença de bacamarteiros em festejos de rua, em arraiais. Não faltaram milho assado, canjica, pamonha nas mesas da cidade, naquela que é a sua segunda maior festa popular. Que, no entanto, não deixou de existir. Online, é verdade. Mas a forrovioca encarregou-se de levar o forró às ruas, cumprindo programação que só se encerra no dia 29, dedicado a São Pedro, quando se encerra o ciclo junino.

Na noite dessa quarta, por exemplo, a Forrovioca está nas ruas a partir das 17h. Aliás, as duas forroviocas. A primeira fará o intinerário Derby Prado, com Lia e Itamaracá, Jorge Silva, Tempero Brasileiro e o impagável sanfoneiro Beto Hortis.  A segunda irá da Linha do Tiro a Campo Grande, com
Israel Filho, Edilza Ayres, Tribo Cordel e Belo Xis.  De acordo com a Prefeitura, as lives transmitidas na noite do dia 23 a partir do Sítio Trindade, alcançaram  60 mil pessoas, sendo 38 mil no Facebook e 22 mil no Youtube.

A festa foi comandada por Silvério Pessoa, um dos homenageados do São João 2020. A programação foi fruto da articulação entre as secretarias de Cultura, de Turismo, Esportes e Lazer e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, com o suporte e aporte técnico, tecnológico e afetuoso da Presença Digital da Prefeitura. Quem perdeu a festa pode assistir aos shows no Facebook do São João do Recife (facebook.com/saojoaodorecife).

 

E ainda no site da Prefeitura do Recife (facebook.com/prefeituradorecife). Ou no
YouTube (youtube.com/prefrecife. No próximo dia 29,  tem outra live, com Josildo Sá e seus convidados: Cristina Amaral, Maciel Melo e Petrúcio Amorim. A programação será transmitida nos mesmos canais da Prefeitura do Recife e também pela Frei Caneca FM.  Como ontem, a noitada da próxima live será comandada por Josildo Sá, mas animada por  Mateus e Catirina (dupla na foto)

Os recifenses também poderão acompanhar a programação e os conteúdos juninos pelo Portal do Turismo (visit.recife.br); além dos outros canais oficiais da Prefeitura do Recife (youtube, Instagram e facebook). Ainda tá em tempo de rimar celebração com doação. A arrecadação de recursos que serão destinados à compra de cestas básicas para a Sociedade dos Forrozeiros e para a Federação de Quadrilhas e Similares do Estado de Pernambuco (Fequajupe) continua. Com a pandemia, muitos profissionais que costumavam faturar com a festa, encontram-se em dificuldade. Veja como colaborar. É só  acessar o site: https://queroimpactar.com.br/projeto/apoio-sao-joao-2020/.

Só um lembrete. São João tem que ser em casa mesmo. Festa de rua para comemorar… nem pensar. Embora a epidemia esteja “desacelerando” no Recife, como ressaltam as autoridades sanitárias, os números divulgados hoje pela Secretaria Estadual de Saúde revelam que todo cuidado é pouco. E que o isolamento ainda é importante. Hoje foram confirmados 1.191 casos novos da Covid-19 em Pernambuco. E esse número não é pouco. Com isso, o Estado totaliza 54.022 casos da infecção, desde o início da pandemia. E 65 mortes foram confirmadas em laboratório como provocadas pelo novo coronavírus. O estado tem, agora, 4.425 mortes devido à pandemia. Ou  seja, São João, para quem quiser comemorar, tem que ser é virtual mesmo. Ou à distância, vendo a forrovioca passar.

Leia também:
Procissão dos Santos Juninos: entre a esperança e a pandemia

Procissão dos Santos Juninos vai descer o Morro só com o andor
O forró virtual da pandemia
Silvério Pessoa e Josildo Sá: o encontro do canavial com a caatinga
Banda Sinfônica lembra Jackson do Pandeiro com Josildo Sá no Santa Isabel
Danado de Bom no Santa Isabel
São João tem novos arraiais no Recife
Josildo Sá: forró, frevo e romantismo
Procissão dos Santos Juninos: São João verdadeiro sem precisar de funk nem DJ
Missa do Vaqueiro: do Sertão ao Cais
Almério e Silvério Pessoa no Marco Zero
São João da pandemia e da resistência
São João sem fogos nem quadrilhas
Centenário de Jackson do Pandeiro tem festa na Passa Disco
Procissão dos Santos Juninos: São João verdadeiro sem precisar de funk nem DJ
Procissão dos Santos Juninos
Acorda Povo em Campo Grande
Dia de procissão dos santos juninos
Linda, procissão das bandeiras é sábado
Capelinha de melão é de São João
Santo Antônio: casamenteiro, soldado, tenente e vereador cassado
A língua incorrupta de Santo Antônio
Forró no Sítio, Poço e Pátio de São Pedro
Quadrilha: luxo, brilho e resultados
Ecos do São João no Ibura
Último dia para ver as quadrilhas
Sexta de forró e desfile de bandeiras
Quadrilhas dão show no Sítio Trindade
Quadrilhas: luxo, brilho e resultados
Quadrilhas: do arraial ao palco
Cadê as quadrilhas tradicionais?
Caminhada do Forró e Festa do Fogo animam Bairro do Recife 
Olha! Recife tem ônibus com forró
“Eu amo minha rua”: Premiada via com homenagem a Jackson do Pandeiro
Acesso ao Sítio da Trindade: Estrada do Arraial só tem iluminação de um lado
Pensem, em 1964 já havia fake news: Bacamarteiros viraram “guerrilheiros”
Qual a origem dos bacamarteiros?

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Andréa Rego Barros/  Divulgação / PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.