Pandemia: livros para ficar em casa

Tempos de pandemia, de isolamento social, de ficar em casa. Nem toda família, no entanto, principalmente as crianças, têm com que se ocupar, principalmente aquelas mais carentes, que não têm acesso a tablets e serviços de banda larga. Mas tem nada melhor do que curtir o isolamento social com livros? Nessa época, pelo menos para mim, eles têm se revelado grandes companheiros. E tomara que a meninada e os respectivos pais pensem assim também. Entre os dias 27 e 30 de maio, 12 mil livros serão distribuídos em seis bairros do Recife.

Eles são voltados para aumentar a interação entre pais e filhos e para estimular a preparação para a leitura. A entrega será feita pela Prefeitura, que recebeu a doação da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, um das mais importantes instituições brasileiras que tratam da Primeira Infância. A iniciativa beneficiará crianças em situação de vulnerabilidade social nos bairros de Boa Viagem, Torre, Pina, Jardim São Paulo, Ipsep e Várzea.  A ação, articulada por meio da Secretaria Executiva para a Primeira Infância do Recife, conta com a parceria da ONG Visão Mundial e a com a colaboração das lideranças das comunidades que serão beneficiadas.

Serão distribuídos 10 mil exemplares do O Nenê do Zap, que traz conteúdo voltado para conversas e a interação de pais, mães e cuidadores com crianças desde o nascimento até os seis anos de idade, fase da vida que corresponde à Primeira Infância. O personagem dá dicas de como interagir positivamente com bebês e crianças, além de dar informações sobre essa fase tão importante da vida. Nesse momento da pandemia, o Nenê fala sobre o novo coronavírus e dá várias dicas importantes para a família se proteger do contágio e preservar a saúde. Os demais 2 mil livros são de exemplares do Cartas aos Meninas e Meninos em Tempos de Covid-19.

A produção é do Fórum Mineiro de Educação Infantil que auxilia os adultos (pais, mães, professores e cuidadores) a conversarem com as crianças sobre o momento que estamos vivendo. O conteúdo conta com  produção de ilustradores de livros infantis, como Alexandre Rampazo, Anna Cunha, Odilon Moraes, Nelson Cruz, Marilda Castanha e Graça Lima. Com uma abordagem lúdica, os livros têm a missão de ser um importante aliado na interação entre adultos e crianças com o objetivo de contribuir com o fortalecimento dos laços afetivos e do desenvolvimento cognitivo, emocional e social.  Com essa distribuição, chega a 29 mil os livros entregues a populações vulneráveis, por meio de doações, visando a assistência à primeira infância.

Leia também:
Alunos fazem livros sobre 20 bairros
Livros artesanais são destaque em escolas públicas do Recife
Faltam bibliotecas para estudantes
Você tem fome de quê? De livros
Livros em discussão nas comunidades
Ação do Sesc já arrecadou 500 mil livros
Embaixadora tem livro premiado

Cronograma de entregas:
27 de maio: Torre – Entrega na sede do Exército da Salvação, na Rua Conde de Irajá
30 de maio: Boa Viagem e Ipsep –  entregas nas sedes dos Projetos Sinal e Esperança,  na Rua Professor José Vicente, 830.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto:  Karla Fagundes / PCR / Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.