Natureza: O “passeio” das tartarugas

Uma notícia boa, nesses tempos de tantas perdas, inclusive por conta das tentativas de desmonte das políticas de proteção ambiental do Brasil. No sábado, Dia Mundial da Tartaruga, vejam só (foto acima) dez delas ganharam um maravilhoso passeio. O destino: a áreade origem, no Norte do Brasil.  A Tartaruga da Amazônia (Podocnemis expansa) é  tida como a maior espécie de tartaruga fluvial da Américado Sul.

Os animais fizeram uma longa viagem  de 2.300 quilômetros de Pernambuco ao Pará. E já  estão nadando nas águas do Rio Tocantins. Foram liberadas em uma reserva, no município de Tucuruí, onde desfrutarão das maravilhas do ambiente selvagem. No local, segundo os técnicos responsáveis pela liberação, não há risco de predadores a animais adultos, a não ser humanos. Mas o acesso à área é limitado.

Tartaruga da Amazônia é tida como a maior espécie fluvial da América do Sul: retorno à casa, em “passeio” de luxo.

Os animais haviam sido recuperados em ações de fiscalização ambiental da Agência Estadual de Meio Ambiente (Cprh) em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Elas estavam no Centro de Triagem de Animais Silvestres da Cprh (Cetas Tangara), no Recife, onde passaram por processo de recuperação e preparação para a reintrodução à natureza.

“A ida da equipe do ICMBio para outras atividades favoreceu que as tartarugas fossem levadas antes da data que havíamos planejado. Hoje a gente comemora o Dia das Tartarugas com resultado”, disse ontem o gestor do Cetas, Yuri Valença. O Dia Mundial da Tartaruga, comemorado em 23 de maio – foi criado pela organização não governamental American Tortoise Rescue, no ano de 2000. Veja o vídeo, feito por técnicos do ICMBio na soltura das lindonas, em vídeo enviado pelo ICMBio e Cprh:

 

Leia também:
Quatro milhões de canudos a menos no mercado: tartarugas agradecem 
Viva! Tartarugas ao mar
Tartarugas: entre a ameaça e a salvação
Tartarugas voltam os rios no Pará
Salvem as tartarugas e os caranguejos
Tartaruga é resgatada e passa bem
Plásticos viram vilões de tartarugas
Jabutis trintões vão voltar à natureza
Aos 50, jabutis retornam à natureza
Jabutis: superstição e entrega
Ninhos de jabutis achados no Sertão
Prótese de casco em 3D salva jabuti
Jabutis repatriados para Pernambuco
Cágado-de-barbicha deixa o cativeiro
Aves, cágado e cobra voltam à natureza

Deixem que vivam as baleias
“Colete três plásticos na areia”
Acordo na justiça para algozes do marlim azul
Comer lagosta ovada é não ter coração
Litoral Sul tem área de proteção marinha
Praia dos Carneiros ganha aliado contra turismo predatório
Brumadinho: 125 hectares de florestas e vidas humanas destruídas
Servidor federal é afastado, porque fez a coisa certa na proteção ambiental
Ministro manda oceánografo trabalhar na caatinga. E o Sertão já virou mar?

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos e vídeo: Cprh / ICMBio / Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.