Respiradores: Quem tem razão, o Ministério Público de Contas ou a Prefeitura?

Depois de ter a compra de 500  respiradores sob suspeita – em operação questionada pelo Ministério Público de Contas – a Prefeitura do Recife distribuiu nota oficial, informado que a empresa Juvanete Barreto Freire desistiu de fornecer os equipamentos que serviriam para equipar leitos de em hospitais de campanha. A empresa é a representante da Bioex, fabricante de equipamentos médicos e odontológicos. A aquisição, no valor de R$ 11,5 milhões chamou  a atenção dos auditores porque a fornecedora ( a Juvanete, no caso) é uma MEI, com capital social de R$ 50 mil e é cadastrada como revendedora de produtos veterinários e colchões.

Cada equipamento sairia a R$ 23 mil para os cofres municipais, um preço bem inferior  ao do mercado, o que chamou a atenção do MPCO quanto à eficiência dos aparelhos. “A empresa alegou que, mesmo não existindo qualquer irregularidade, vem sofrendo prejuízos por veiculações injustificadas de sua marca”,  explicou a Prefeitura, em nota oficial, sobre a suspensão do fornecimento de respiradores, aparelhos indispensáveis para o atendimento a pacientes com síndrome aguda respiratória grave (Srag), a fase maior risco entre os pacientes da Covid-19.

Entrega de 500 respiradores para equipar leitos destinados a pacientes da Covid-19 foi suspensa: suspeita no contrato

 

“A Prefeitura registra que tem atuado em colaboração com todos os órgãos de controle, em especial o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público, pelos quais a gestão tem enorme respeito e admiração. Reuniões diárias e farta troca de documentação tem sido a tônica da relação com o corpo técnico e com os membros desses órgãos. O trabalho tem gerado resultados positivos para os recifenses em um momento tão desafiador para todos”, diz a nota oficial. No comunicado, há críticas à iniciativa do Procurador que denunciou o caso.

“Infelizmente, ao que parece, essa não tem sido a relação do Procurador Cristiano da Paixão Pimentel com a Prefeitura. Somente ontem, indícios apontam que o referido procurador deu notícias de uma representação interna a 11 de veículos de imprensa, além de ter dado uma entrevista à Rádio Jornal, aparentemente com o intuito de construir um suposto escândalo. Somente em suas redes sociais pessoais, o procurador fez 12 postagens sobre o tema em um único dia.”

E acrescenta: “O que é mais estranho, é que tudo aconteceu antes mesmo da Prefeitura ter sido notificada da representação interna para esclarecer as dúvidas sobre o processo. Fica a dúvida, se o interesse é mesmo pela apuração dos fatos, o que é um dever do procurador, ou apenas criar um suposto escândalo na mídia e gerar consequências político-eleitorais.O resultado de toda esta situação, é que os respiradores pulmonares que iriam salvar vidas de recifenses, agora vão salvar vidas em outras cidades. A Prefeitura lamenta muito que a situação criada por um comportamento duvidoso, tenha gerado esse prejuízo à nossa população”. Trocas de acusações à parte, a verdade sempre prevalece. Ao final, deveremos saber quem tem razão. Em épocas de emergência ou calamidade pública, todo cuidado é pouco no que diz respeito à vigilância quanto ao uso de verbas públicas.

Leia também:
Mais um triste recorde em Pernambuco. E isolamento deixa a desejar
Cúpula do governo com Covid. E casos passam de 22 mil em PE 
Secretário Estadual de Saúde com a Covid-19
Pias sem torneiras automáticas são recomendadas durante a pandemia?
PE: Mais um triste recorde na pandemia
Isolamento social no sábado chegou a 62 por cento no Recife
Pernambuco tem lockdown em cinco cidades e recorde de casos de Covid
Herói,  palhaço e lockdown
Blitzes educativas e garis sem máscaras
Pernambuco, onde lockdown é “quarentena”
Micros farão um milhão de máscaras
Infectados da Covid passam de 12.400 em Pernambuco
Parques e praças serão os locais mais procurados na pós-pandemia
Pernambuco bate outro recorde triste
Chineses, ventiladores e espera por UTI
PE: Covid bate um novo recorde
Lojas fechadas, mas sem lockdown
Ministério Público cobra transparência
Recife tem último hospital de campanha. Infectados passam de 9 mil em Pernambuco
Espaços públicos desinfetados
No Brasil, 3,6 mil respiradores precisam de conserto
Pandemia: Ao contrário de Brasília, relações Recife- China vão bem
PE: Covid-19 ataca 8.646, sendo 2.204 são profissionais de saúde
Casos de Covid-19 são mais de 8 mil
Pandemia tem “Arte Cura” e infectados já são mais de 7 mil em PE
Mais restrições: sem praia, sem parque e sem lojas. Infectados já são
Pandemia: a corrente do bem
Pandemia e natureza: animais silvestres ocupam áreas vazias
Pandemia e a volta das capivaras
Coronavírus: já são mais de 6.000 casos em Pernambuco
Confusão na Caixa vira caso de justiça
A  briga judicial por respiradores
Cufa-PE vai às favelas contra o coronavírus
Ricardo Brennand, Frans Post, Eckhout, Mercado da Madalena e pandemia
Coronavírus: 3.298 casos, 282 óbitos
Recife recebe EPIs. Infectados são 2.908
Sem praia nem parque até 30 de abril 
Maior hospital de campanha do Recife contra a Covid-19
O alerta da pandemia: “Estou com fome”
Quem pagou por exame de Covid-19 pode ter dinheiro de volta
Comércio fica fechado até 30 de abril
Corona: vaidade, mesquinharia e doação
Cannibal contra o coronavírus
Pandemia: Jardim Secreto faz vaquinha para ajudar Caiara
Rede de solidariedade só faz aumentar
Coronavírus e a rede de solidariedade
Corona: Vem álcool 70 por cento por aí
Pandemia: Conselho Regional de Química produz álcool
Pandemia: Hospital de campanha tem entrega antecipada
Pandemia: coronavoucher vira coronarrisco
Pandemia: pensar no coletivo é preciso
Pandemia: Prefeitura contrata médicos
Parques e praças serão os locais mais frequentados na pós-pandemia
Pandemia: Essa bagunça vai acabar
Profissionais de saúde infectados são 227 em PE
Coronavírus, praia e nascer do sol
Covid-19 espalha-se por 39 municípios
Coronavírus: Cadê a distância necessária?
Corona: Cuidado com o pão nosso
Coronavírus: ronda policial fiscaliza parques
Noronha entra em quarentena
Coronavírus: praias e parques fechados no final de semana
Prorrogado pagamento de ISS no Recife
Pandemia: Prefeitura revê contratos
Pandemia: Lar do Nenen precisa de ajuda
Pandemia: Plaza Shopping muda marca
Fecham a partir de sábado: shopping centers, bares
Aglomerações só com dez pessoas? Decreto não vale para a CEF 
Pandemia: máscaras ecológicas
Coronavírus: União e prefeitura brigam por ventiladores
Coronavírus e o espírito solidário
Grupo Moura: das baterias à fabricação de máscaras contra o coronavírus
Coronavírus já matou três em PE
Bia: Remédio contra o confinamento
Cientistas contestam Bolsonaro
Voltar à normalidade, como? “Gripezinha”, resfriadinho ou genocídio?
Pandemia mexe até com os bichinhos
Magiluth busca estratégia de sobrevivência
Após reclamações, cestas básicas para 90 mil alunos
Pandemia: pensar no coletivo é preciso
Novos leitos, 35 casos e repartições com atendimento remoto
PE, coronavírus: 33 casos e três curados
Sem festa, mas com cachê garantido
Pernambuco tem a primeira cura do coronavírus
Comércio, serviço e construção vão parar
Governo de Pernambuco inicia embarque de turistas de navio retido
Fecham a partir de sábado: shopping centers, bares, salões de beleza, etc
Cultura roída pelo coronavírus
Câmara quer suspender cortes de água e luz
Questionada a merenda do coronavírus
Coronavírus traz fantasma da fome
Pandemia: Igreja em quarentena
Aulas suspensas a partir de 18/3
Coronavírus: sete casos em Pernambuco e povo sem direito a futebol em campo
Recife quase parando devido ao corona
Brasil, Recife, pandemia e eventos
Corona vírus, fantasia e polícia
Colabore com o Fazendo Acontecer
Nóis sofre mais… nóis goza
Nóis sofre mais nóis goza é só folia
Ciclofaixa de lazer está suspensa

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Andrea Rego Barros / Divulgação / PCR / Acervo #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.