Micros farão 1 milhão de máscaras. Infectados são mais de 13.000 em PE

Com os negócios praticamente parados, desde o início das medidas restritivas impostas pela pandemia, costureiras, microempreendedores individuais (MEIs) e microempresas (MEs) da área de confecções do Recife terão um alento nas finanças. É que a Prefeitura informou hoje que vai contratar esses empreendedores para produção de 1 milhão de máscaras de tecido (como as da foto) para distribuir a populações carentes da cidade. A capital é o epicentro da epidemia em Pernambuco, respondendo por quase 30 por cento dos casos da Covid-19 no Estado.

“O objetivo é distribuir os produtos à população em situação de vulnerabilidade social e econômica, visando fortalecer a proteção contra a contaminação pela covid-19, além de gerar renda e estimular a economia local”, informa a Prefeitura. A ação é uma parceria da Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo (STQE) com o Gabinete de Projetos Especiais (GABPE).  O edital que relaciona a documentação necessária para habilitação dos interessados em participar estará disponível, a partir desta segunda (11), no portal da Prefeitura do Recife  (www.recife.pe.gov.br).

Todos os procedimentos, incluindo a inscrição da pessoa ou empresa interessada, deverão ser feitos pelo e-mail que consta no edital. A documentação solicitada deve ser enviada das 8h do dia 11 às 17h da sexta (15). O objetivo inicial é contratar 300 costureiros e MEIs, para entregarem até 1,6 mil máscaras cada, além de 25 microempresas que farão 20,8 mil unidades cada, totalizando um milhão de exemplares. A PCR pagará um real por máscara, menos os impostos.

Para participar, os costureiros devem ter idade mínima de 18 anos completos. Já os MEIs e microempresas precisam estar inscritos no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e ter CNAE voltado à área de confecção. Todos precisam ter residência e sede no Recife. Apesar da obrigatoriedade quanto ao uso de máscaras, é grande a quantidade de pessoas sem usar o adereço, principalmente em feiras e bairros populares. Dependendo do feitios, os preços das artesanais variam de R$5 a R$ 10. Mas já há mulheres vendendo-as nos cruzamentos, por R$ 3.

Boletim divulgado agora à noite pela Secretaria Estadual de Saúde indica que o número de pessoas oficialmente infectadas pelo novo coronavírus em Pernambuco chega a 13.275, sendo 7.152 considerados graves e 6.119 tidos como leves. Os pacientes recuperados são 1.522. E as mortes passam de mil no Estado (1.047)

Leia também:
Pandemia tem Arte Cura
Pandemia: Socorro para os artesãos e venda virtual
Pandemia: A corrente do bem
No Brasil, 3,6 mil respiradores precisam de reparo. Parceria para conserto
Coronavírus e a rede de solidariedade
Grupo Moura: das baterias à fabricação de máscaras contra o corona
Pandemia: Pensar no coletivo é preciso
Cufa-PE vai à favela contra o coronavírus
Cannibal contra o coronavírus
Trem do bem: desinfecção e doação
Quem pagou por exames da Covid-19 pode ter dinheiro de volta
Corona: vaidade, mesquinharia e doação
Rede de solidariedade só faz aumentar
Pandemia: Conselho Regional de Química produz álcool
Pensar no coletivo é preciso
Lar do Nenen precisa de ajuda
Pandemia: máscaras ecológicas
Bia: Remédio contra o confinamento
Cientistas contestam Bolsonaro
Sem festa, mas com cachê garantido
Augusto César nas Pás: Vou escalar todo seu corpo
Clube das Pás: festa de dança virtual
Colabore com o Fazendo Acontecer
Pandemia: Jardim Secreto faz vaquinha para ajudar Caiara
Pandemia: As estátuas mascaradas contra o coronavírus nas ruas do Recife
Pandemia e a volta das capivaras
Ricardo Brennand, Frans Post, Eckhout, Mercado da Madalena e pandemia
Trem do bem: desinfecção e doação
Frevioca no Dia das Mães

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.