No Brasil, 3,6 mil respiradores precisam de reparos: parceria para conserto

Cada dia mais necessários durante a pandemia, respiradores artificiais se transformaram em alvos de disputas judiciais entre estados e prefeituras e a União, como foram os casos de Pernambuco e do Recife, onde governador e Prefeito tiveram que recorrer à justiça, para garantir o acesso a equipamentos em seus hospitais de campanha. Nessa semana, o governo federal informou que levou um calote da China, que não cumpriu contrato para a entrega de 15 mil respiradores para o combate à Covid-19, que custariam R$ 1 bilhão os cofres públicos brasileiros. Há estimativas segundo as quais haveria nada menos de 3,6 mil respiradores necessitando de reparos no Brasil, inclusive em unidades públicas.

Ou seja, um descalabro que só vem à tona agora, quando esses equipamentos passam a ser disputados a tapa. E por falta deles, tem muita gente morrendo. Os números  sobre  respiradores quebrados foram fornecidos pela Rede Voluntária para Manutenção de Ventiladores Pulmonares em Prol do Combate à Covid-19, parceria formada pela Volkswagen do Brasil, Climatec e Senai, para reparar ventiladores que estejam quebrados. Os primeiros, já consertados, foram entregues aos hospitais Maria Braido e Central, que ficam em São Caetano do Sul, São Paulo (foto acima). Se forem consertados 3.6 ventiladores,  já seria um alento para os pacientes da infecção, não é gente? Tanta gente precisando por conta das dificuldades impostas pelo coronavírus. É o que mais falta nessa pandemia. Cada ventilador salva, em média, dez pessoas a cada cinco meses.

O #OxeRecife  volta a trazer uma série de ações de empresas, associações, trabalhadores, entidades culturais que, de uma ou outra forma, estão prestando colaboração nesse momento tão difícil de nossas vidas e de solidariedade tão necessária.  Os registros envolvem pequenas ou grandes ações, todas repletas de significado, nesse momento em que se doar é preciso.

Veja outros exemplos e também confira os links no Leia também:

Metrô do Recife – Realizou na quinta-feira (30), o primeiro repasse da coleta da campanha Trem do Bem, desencadeada por metroviários. Foi recolhida uma tonelada de alimentos, destinados a famílias pobres do bairro de Areias. A campanha prossegue, com pontos para doações nas estações do metrô e também no seu centro administrativo. Mapeamento de famílias necessitadas foi feito pela União Pernambuco contra o Coronavírus.

Centro de Criação Galpão das Artes, que faz trabalho de resgate social e valorização da cultura popular no município de Limoeiro, a 77 quilômetros do Recife. Está  atendendo remotamente a 25 crianças do Programa Arte Educação. As mães receberam três kits: alimentação, produtos de higiene e um pedagógico, para ocupar as crianças.

 

Instituto Ação pela Paz – Acaba de doar 65 mil máscaras de tecido para o sistema prisional de Pernambuco. E a Secretaria Executiva de Ressocialização recebeu doação de matéria prima para confecção de máscaras, aventais e toucas, que foram enviados para servidores da Seres e hospitais de Petrolina (no Sertão). Outras 1.350 máscaras de acetato foram confeccionadas por presidiários do Agreste e enviadas para dois hospitais da região e para ma Upae (Unidade de pronto atendimento do Estado).

 

Hidrovias do Brasil – Por meio do Instituto Hidrovias – sua organização de responsabilidade social – distribuiu 3.000 cestas básicas para jovens matriculados na rede oficial de ensino em Santos (SP). Na Região Norte doou R$ 6,5 milhões em equipamentos hospitalares em Itaituba e Bacarena, que ficam no Estado do Pará. Daquele valor, R$ 3,1 dizem respeito a equipamentos hospitalares para o Centro de Tratamento Via dos Cabanos, hospital de campanha em Bacarena (40 camas hospitalares, 40 monitores de sinais vitais e 33  respiradores).  Bacarena fica a 199 quilômetros de Belém. Posteriormente, após a pandemia todo esse material será doado ao Hospital Municipal de Saúde de Bacarena. A parte restante dos recursos foi investida em equipamentos (inclusive 200 leitos) para o Hospital Regional de Tapajós, localizado em Itaituba,  a 1.317 quilômetros de Belém.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou, nesta segunda-feira (04/05), 220 novos casos de Covid-19 no Estado. Com isso, os número oficial de pessoas infectadas no Estado chega a 8.863, sendo 5.470 casos tido scomo graves e 3.393 considerados leves. Entre os confirmados hoje, 126 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 94 são casos leves. Também foram confirmados laboratorialmente 39 novos óbitos, totalizando 691. 

Leia também:
Coronavírus e a rede de solidariedade
Grupo Moura: das baterias à fabricação de máscaras contra o corona
Pandemia: Pensar no coletivo é preciso
Cufa-PE vai à favela contra o coronavírus
Trem do bem: desinfecção e doação
Quem pagou por exames da Covid-19 pode ter dinheiro de volta
Corona: vaidade, mesquinharia e doação
Rede de solidariedade só faz aumentar
Pandemia: Conselho Regional de Química produz álcool
Pensar no coletivo é preciso
Lar do Nenen precisa de ajuda
Pandemia: máscaras ecológicas
Bia: Remédio contra o confinamento
Cientistas contestam Bolsonaro
Sem festa, mas com cachê garantido
Augusto César nas Pás: Vou escalar todo seu corpo
Clube das Pás: festa de dança virtual
Colabore com o Fazendo Acontecer
Pandemia: Jardim Secreto faz vaquinha para ajudar Caiara
Pandemia: As estátuas mascaradas contra o coronavírus nas ruas do Recife
Pandemia e a volta das capivaras
Ricardo Brennand, Frans Post, Eckhout, Mercado da Madalena e pandemia

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.