Praça cada vez pior na Madalena

Não é porque estamos em situação de pandemia que vamos fechar os olhos ao abandono a que se encontram relegadas as praças do Recife. Mesmo saindo pouco – só para o essencial (supermercado, mercado, farmácia) – é difícil não observar o quanto estão às moscas. Vejam só a situação da Praça Solange Pinto, no centro da qual fica o quase centenário Mercado da Madalena que, em tempos normais, funciona como saudável ponto de encontro da Zona Norte. Além dos compradores habituais nos boxes, há os boêmios, os poetas, os cantadores, os músicos que costumam se ver nos bares, principalmente aos sábados, para jogar conversa fora, tomar uma cervejinha, saborear um prato regional.

Por tudo isso, a praça deveria estar em boas condições: com gramado, sem lixo, equipamentos pintados e conservados. Mas desde 2016 que venho cobrando aqui no #OxeRecife um zelo maior não só com a praça, como no próprio mercado, que recebeu investimento vultoso (do governo do estado), mas cujo resultado pouco se vê, conforme vocês podem observar nos links abaixo. Já a Praça, meu Deus, permanece na mesma. Lixo pelo chão, gramado sumido, o cercado de ferro servindo de varal para roupas de moradores de rua. E, o que é pior, no meio da praça foi erguido um cubículo que parece um galinheiro. Dizem os frequentadores que seria usado para guardar material de obras ali realizadas. Mas…  que material e  que obra… Cadê?

Alguém sabe qual a finalidade desse “galinheiro” construído na Praça Solange Pinto, ao lado do Mercado da Madalena?

O bairro da Madalena é um dos mais tradicionais do Recife e em quatro anos, pouca coisa mudou na sua principal praça. Está tudo do mesmo jeito, entregue às baratas Sinceramente, não sei o que leva uma gestão municipal – no caso a Emlurb – a permitir que se construa um monstrengo daquele em plena praça. Parece mesmo um galinheiro. Não é à toa, portanto, que no último sábado de manhã havia galinhas soltas ciscando na praça e até uns patinhos, brincando em uma poça que se formou com a chuva.

Até aí, tudo bem. Deixa os bichinhos se esbaldarem nos poucos espaços que restam no meio da nossa selva de concreto. Mas permitir que um monstrengo como o “galinheiro” fique “plantado” no meio da praça por tempo indeterminado…. Aí, já é descalabro demais. Alô, alô, Emlurb! Ninguém faz nada não, é? Oxe, Recife! Recentemente  mostramos aqui, também, a derrubada de árvores em quarteirão da Madalena para abrir vagas para estacionamento de casa comercial. Foi feita a denúncia, os próprios moradores já haviam reclamado à Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife. E o que aconteceu? Nada. Desse jeito, não tem cidade que dê certo.

Leia também:
Ricardo Brennand, Frans Post, Eckhout, Mercado da Madalena e pademia?
A polêmica obra concluída. Concluída?
Mercado da Madalena melhorou?
A “reforma” no Mercado da Madalena
Bagunça no Mercado da Madalena
Praça excluída em reforma no Mercado da Madalena
Mercado da Boa Vista: agora vai?
Justiça, mercado e encanto dos vitrais
Parem de derrubar árvores (237). Quarteirão pelado na Madalena
Parem de derrubar árvores (238). Golpe de misericórdia na Madalena

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.