Bia:”Remédio” contra o confinamento

Uma das artistas mais atuantes do universo musical em Pernambuco, Bia Villa-Chan não para nem mesmo em tempos de coronavírus. A cantora e instrumentistas quer amenizar o confinamento compulsório provocado pela pandemia. Ela adere ao amparo sonoro tocado por artistas no Brasil e no mundo, com objetivo de reduzir a sensação de isolamento. A arte, pois, pode ter o poder de unir. Apesar da distância.

A partir dessa quinta-feira (26/3)  está no ar o projeto Duo Baixo e Bandolim, em que Bia une o bandolim  – instrumento com o qual ela se apresenta – ao baixo de Hélio Silva. Os shows serão feitos de casa, editados pela fotógrafa Thamyres Oliveira e disponibilizados sempre pelo YouTube, Facebook e Instagram. Sempre às quintas.

“É um desafio e uma responsabilidade enorme fazer essas apresentações em um momento tão delicado”, diz. “Vamos tentar harmonizar dois instrumentos que não são primariamente harmônicos para fazer a música alcançar as pessoas. Ele na casa dele, eu na minha, juntando nossas artes em vídeos”, observa a cantora.  O repertório será formado por composições assinadas pela própria Bia Villa-Chan, assim como por músicas de amigos dos dois, como Renato Bandeira, Romero Medeiros, Braulio Araújo com o objetivo de prestigiar a cena musical local.

Leia também:
Março: Taca Mais Música das Mulheres
Bia Villa-Chan: bandolim e MPB
Novata, Bia canta com veteranos do Quinteto Violado
Pedacinho de mim na Passa Disco
Kizomba, Kaduro, Funaná e Frevo
Dupla divina: Marisa Monte com Paulinho 
Wesley Safadão vai ser a cara da Pitu

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Amaury Pinto /Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.