Pandemia mexe até com os bichinhos

O coronavírus está afetando até com a  vida dos bichinhos silvestres: pássaros, tamanduás, macacos, preguiças, capivaras. É que, vez por outra, aparece um animal desse desgarrado  (no asfalto, em quintais, ambientes domésticos) e precisa, claro, ter um destino que lhe preserve a vida. E o melhor local para garantir isso é a Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh), de cuja sede os animais são normalmente enviados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangara), que fica no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife.  Mas agora, devido à pandemia,  os animais devem ser diretamente entregues ao  Cetas.

A  Cprh fica na Rua Oliveira Góes, 396, no Poço da Panela.  Mas devido por conta do risco do Covid-19 e às restrições para evitar o seu alastramento, a Cprh informa que “a sede está fechada para o atendimento público, conforme determina o Decreto Estadual  48.835/ 2020”. E que “temporariamente as entregas voluntárias só podem ser feitas exclusivamente no Cetas, na PE 16, KM 8,1, na antiga Estrada da Muribeca,no bairro da Guabiraba. Informações pelo telefone (81) 31 82 90 22. O Cetas recebe animais provenientes de entregas voluntárias, apreensões (por cativeiro irregular) ou vítimas de tráfico.

Animais silvestres, como a preguiça, por enquanto só podem ser entregues no Cetas, Guabiraba devido ao corona.

A Cprh também decidiu prorrogar os prazos administrativos para licenciamento, renovação de licença, procedimentos ligados a autos de infração e a outros tipos de processos ambientais. A medida foi regulamentada por meio da Portaria nº 039/2020,  publicada no Diário Oficial nesta quinta-feira (19). A iniciativa suspende os prazos por 30 dias, a contar do último dia 17 de março.

De acordo com o documento, as licenças ambientais, que vencerem nesse período, terão sua validade automaticamente prorrogada para 18 de abril. Já para os demais procedimentos em curso na CPRH, os prazos voltarão a contar a partir do dia 18 de abril, pelo tempo que lhes restava no dia 17 de março. Por exemplo, uma pessoa ou empreendimento tem 20 dias para apresentar defesa de um auto de infração, a contar da data que foi expedido pela Cprh. Se no dia 17, já tiverem transcorridos nove dias desse prazo, automaticamente essa pessoa ou empreendimento vai dispor dos 11 dias restantes a contar de 18 de abril. Para que as pessoas e os empreendimentos possam tirar dúvidas sobre a iniciativa, o órgão ambiental também disponibilizou o telefone 81.3182.8876.

Leia também:
Mais de 9 mil animais voltam à natureza em Pernambuco
Compensação ambiental garante abrigo de animais silvestres
Cprh recebeu 12.696 animais em 2019
Cprh se muda para empresarial
Com especialização em Direito Ambiental, Djalma Paes assume Cprh
#OxeRecife é destaque de imprensa no Prêmio Vasconcelos Sobrinho
Os agraciados com o Prêmio Vasconcelos Sobrinho
Mais de 9 mil animais acolhidos em 2017
Cprh resgatou 13.406 animais em 2018
PE: Mil animais repatriados em 2019
Não deixe a Mata Atlântica acabar
Pulmão protegido no Grande Recife
Aves brasileiras são alvo de tráfico
Cadê a punição dos “tubarões” que também devastam a mata do Frio?
Plásticos viram vilões de tartarugas
Praia dos Carneiros ganha aliados contra turismo predatório
Prótese em 3D salva jabuti
Salvo papagaio acuado por cachorros
“Dê cá o pé, meu louro”
Papagaio cativo: multa chega a R$ 5 mil
PM evita venda de papagaio bebê
Policial militar devolve papagaio
Aves brasileiras são alvo de tráfico
Papagaio passa 25 anos na gaiola
Temendo gavião, aposentada entrega papagaio de estimação
352 papagaios voltam à vida selvagem
Projeto Papagaio da Caatinga ganha reconhecimento internacional
Arara tem estresse em cativeiro

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Cprh / Divulgação / Arquivo #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.