#RecifeEmergênciaClimática (1)

O nome da via é Barbosa Lima, e fica no Bairro do Recife, entre a Avenida Cais do Apolo e a Rua do Apolo. Também é conhecida como Espaço Rua. E por ser colorida e grafitada, geralmente é mostrada aos turistas que por ali passam. Para o #OxeRecife, no entanto, é mais uma das áridas ruas da nossa cidade, pois não possui uma árvore sequer. Nem mesmo um jarro de plantas, que lhe desse a graça do verde. Por esse motivo, ela ganha registro aqui na série #RecifeEmergênciaClimática, destinada a mostrar às autoridades aquelas artérias sem arborização.

O Blog já faz, também a série #ParemDeDerrubarÁrvores, através da qual denuncia a ação da motosserra insana no Recife e o consequente arboricídio. Além de árvores erradicadas em praças, jardins e ruas (a grande maioria, sem reposição), há muitos locais que precisam urgentemente de verde, para neutralizar o desconforto das ilhas de calor da nossa cidade. Faço o registro simplesmente porque hoje, em tempos de coronavírus dominando todo o noticiário, as pessoas nem se lembram que 16 de março é o Dia Nacional de Conscientização sobre as Mudanças Climáticas. Por conta da data, a Prefeitura informou nessa segunda que em 2020 reforça a agenda climática com duas novas entregas previstas para este ano: o Plano de Ação Climática do Recife e o Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa.

Próximas ao Espaço Rua, a Rua do Apolo é outra via central, totalmente desprovida de verde: ilhas de calor.

Em nota enviada à imprensa, o município dá como uma das realizações para enfrentar o problema, o plantio de árvores. Mas, ao que parece, este  ainda é tímido para as necessidades do Recife, a julgar pela quantidade de vítimas de arboricídio sem reposição nas ruas e também pela quantidade de vias, sem uma árvore sequer, o que observo em passeios pela cidade, seja só ou em com grupos como Caminhadas Domingueiras, Bora Preservar, Caminhadas Culturais, MeninXs na Rua ou Andarapé. Só nos bairros do centro, já computei mais de 20 nessa situação. E continuarei mostrando as áridas ruas da cidade aqui nesse espaço. Creio que é preciso.

Para enfrentar a crise climática com “estratégias eficientes”, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife enumera as “ações fundamentais” do poder público, que vêm contribuindo para transformar “Recife em uma cidade cada vez mais sustentável”. Será que o Recife está ficando uma cidade sustentável? Uma cidade sem saneamento é sustentável? Será que o Recife é sustentável sem coleta seletiva de lixo (seletiva mesmo, e não só no nome)? Será que é sustentável, uma cidade com seus rios e canais (ex-riachos) entulhados de detritos e esgoto doméstico? Com esgotos estourados escorrendo pelas ruas? Com as areias das praias tomadas por plásticos? Sem controle da poluição sonora? E com vegetação de parques, praças e jardins esturricada a cada verão? Todas essas indagações são um convite à reflexão.

Eis as iniciativas que, segundo a Prefeitura, vêm contribuindo para tornar o Recife mais sustentável:1- Plano de Arborização com serviço gratuito de plantio oferecido à população através do Bora Plantar. Mais de 11 mil árvores plantadas somente em 2019.
2- Educação socioambiental em mais de 100 escolas da rede municipal através do Programa Educar para uma Cidade Sustentável.
3- 109 quilômetros de rotas cicláveis pela cidade incentivando a mobilidade sustentável.
4- Compaz eleito melhor projeto do Brasil de redução de desigualdade social através do prêmio Cidades Sustentáveis 2019.
5- Iluminação pública em LED para grandes corredores viários, túneis e acessos das principais comunidades da cidade.
6- Energia renovável aplicada em equipamentos públicos, como Econúcleo Jaqueira e Jardim Botânico.
7- Zonas de baixa emissão de carbono com circulação exclusiva de pedestres e ciclistas: Avenida Rio Branco e Rua da Moeda.
8- Elaboração do Índice de Vulnerabilidade Climática e Plano de Adaptação às Mudanças do Clima. 9- Primeira cidade do Brasil a instituir a disciplina Sustentabilidade e Emergência Climática nas escolas do país.

Leia também:
#RecifeEmergênciaClimática
Emergência climática: Recife mais verde é balela
O Recife da paisagem mutilada
Recife árido: emergência climática
Emergência climática no currículo
Escolas combatem mudanças climáticas
Parque Capibaribe ganha 300 mil euros
O Recife tem quantas  árvores?
Parem de derrubar árvores: a natureza é mãe e precisa de nós
Não matem nossas árvores
“Genocídio” oficial de nossas árvores é cada vez maior
Os verdes gramados de Salvador
APP ajuda a monitorar árvores no Recife
Mudas substituem toquinhos
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
Arboricídio vira caixa preta
Compensação pelo arboricídio
Compensação pela selva de concreto
Verdade ou fake: 50.000 novas árvores?
Recife: 4.000 novas árvores em 2018?
“Abaixo o arboricídio insano”
Arborização do Recife em discussão
Parem de derrubar árvores: a natureza é mãe e precisa de nós
Recife ficará mais verde até 2021
Vem aí a Maratona Verde com 10.000 árvores para o Recife do arboricídio
Maratona Verde já começou
Parem de derrubar árvores (203)
Parem de derrubar árvores  (204)
Dia da árvore: a vovó do Tapajós
Parem de derrubar árvores (27)
TRT vai compensar árvores derrubadas
Parem de derrubar árvores (32)

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.