Forró: o incansável maestro popular

Conheci o Maestro Forró há muitos anos, quando usava a sala acanhada da própria casa, na Bomba do Hemetério, para realizar ensaios da sua hoje famosa e internacionalmente conhecida Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, grupo que que contribuiu para popularizar aquele bairro da Zona Norte, hoje tido como celeiro de manifestações culturais e do qual até as guloseimas chegam a ser disputadas por turistas.

Pois esse domingo é dia, mais uma vez, do Maestro Forró, o mais informal, o mais brincalhão e também um dos mais versáteis profissionais da área musical do Recife. Ele rege a orquestra, dá cambalhotas no palco do Marco Zero, onde teve ano que aportou pendurado em uma corda. Ele acha que em Pernambuco, terra do frevo, o Maestro necessita ser mais informal. E ele é. Ficou famoso assim, inclusive.

Só que hoje a informalidade desse cargo (normalmente tão solene) vai ser ampliada na Bomba  do Hemetério, bairro que o Maestro ajudou a divulgar. Nesse domingo (1/3), pós-carnaval, ele realiza o projeto Todos São Maestros, no qual qualquer pessoa pode reger uma orquestra. É chegar, pegar a batuta, e fingir que sabe comandar o grupo de músicos. O evento acontece há 18 anos, comandado pelo Maestro Forró. Anote aí o endereço: Rua  Pastor Benoby Carvalho de Souza, em frente ao número 173, Bomba do Hemetério.

E seja você, também, um maestro por alguns momentos.  A festa conta, claro, com a participação dos músicos da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, responsáveis pela grande confraternização pós-carnavalesca, que tradicionalmente mobiliza a Zona Norte, atraindo milhares de pessoas. Inclusive profissionais do setor, que sobem o Alto para dar “canja”.  Na Zona Norte hoje tem, também, o Bloco da Ressaca, que sai no Vasco da Gama, no início da tarde, por volta de 13h. E em Olinda, o Camburão da Alegria, formado por policiais da PM  (que trabalham demais no carnaval) já está começando a se concentrar na  Praça 12 de Março, para que os PMs possam cair no passo. O tema do 28º desfile é  “Não ao Feminicídio, Quem Ama Cuida” . O bloco é da PM, mas quem quiser é só entrar no Frevo.

Leia também:
Domingo de maestro por um dia
A história de superação de um gênio 
Cais da Alfândega tem concertão
Frevo com Beethoven no Nóis Sofre
O reencontro do maestro com a Polícia

Violino no Nóis Sofre Mais Nóis Goza
A única mestra de Maracatu
Encenações, violino e rosas na FDR
Elefante no Paço do Frevo
Dia do frevo tem programação antecipada
O Recife abraça os foliões
Escuta Levino sai sem Guerreiros do Passo
 Carnaval: prós e contras da festa
Passado o carnaval é “Fim de Festa”
O homem de mola dos “Guerreiros do Passo”
Olha! Recife em clima de folia e com os Guerreiros do Passo
Baile de Fantasias no Morro da Conceição

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação / PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.