Assalto na Faculdade de Direito prejudica quatro anos de pesquisa

Notícia muito triste, envolvendo uma instituição pública e histórica de Pernambuco. Na madrugada de hoje, marginais invadiram a sala do Projeto Memória Acadêmica da Faculdade de Direito do Recife, de onde roubaram equipamentos eletrônicos como eletrodomésticos e computadores. O pior: com estes, foram  levados quatro anos de pesquisa sobre a história e acervo da FDR.  O levantamentos do prejuízos e as circunstâncias do crime ainda estão sendo levantados. A FDR pertence à Universidade Federal de Pernambuco, cabendo – portanto –  à Polícia Federal a investigação do crime.

A informação me foi repassada por uma grande figura, o professor Humberto João Carneiro Filho, criador e Coordenador do Projeto Memória Acadêmica da FDR, através do qual pesquisadores vinham reunindo informações históricas e até inéditas sobre a instituição, cujo curso foi criado em 1827, por decreto imperial, vindo a ser incluído entre os dois primeiros a funcionar no Brasil (o outro foi em São Paulo). A sede atual da FDR, no entanto só receberia os alunos de Direito em 1912, tendo o seu prédio sido tombadoem 1980 pelo Iphan. Carneiro Filho não só criou o Projeto, como aproximou o recifense da FDR, com a introdução de visitas guiadas que vêm atraindo centenas pessoas, desde 2017. Os passeios incluem informações históricas, e acesso a áreas como salão nobre, biblioteca e anfiteatro.

O Projeto Memória Acadêmica da FDR  dedica-se a pesquisar e documentar não só a história do curso como também preservar seu patrimônio e a sua memória.  A sala do Projeto funciona em um anexo, no número 619 da Rua do Hospício, no Bairro da Boa Vista. “Meus caros, compartilho com vocês uma notícia muito ruim que tive agora.E que fica ainda pior por estar distante e não poder fazer nada”, desabafou o professor, em mensagem enviada pelo WhatsApp, pois ele está em Roma cursando Doutorado. “Provavelmente nas últimas noites arrombaram a sala do Projeto Memória e levaram todos os computadores e eletrodomésticos que nela havia”. E acrescenta:

“Trabalho de quatro anos de digitalização de obras, pesquisas, foram tolhidos de nós”.

O #OxeRecife entrou em contato com  a Coordenação de Infraestrutura da FDR.  O furto ocorreu na madrugada dessa terça-feira. A informação é que o levantamento dos prejuízos e as circunstâncias do crime vêm sendo efetuados para produção de relatório a ser enviado à Polícia Federal, para instauração de inquérito para investigação do roubo. Tão logo tenha mais detalhes sobre o assunto, o #OxeRecife repassará aos seus leitores. A expectativa é que esteja pronto amanhã. Porém, mais preciosos do que os equipamentos roubados foram os anos perdidos de pesquisas, com informações preciosas e até inéditas sobre a FDR.

Leia também:
Faculdade de Direito ganha livro sobre patrimônio e a gloriosa história
Sessão Recife Nostalgia: a coroação da Rainha do Recife e de Pernambuco
A República e o estilo eclético no Recife
Relíquia achada na Faculdade de Direito 
Os 190 anos da Faculdade de Direito
Visita guiada na Faculdade de Direito
Faculdade de Direito abre para visitantes
Visita guiada à Faculdade de Direito é sábado 
Sugestão para o Olha! Recife
Direito, memória, pau-brasil e violino
Faculdade de Direito abre para visitantes
Visitas guiadas fazem sucesso na FDR
Encenação, violino e rosas na FDR
As guardiãs de 190 anos de memória
Uma radiografia da FDR 
Faculdade de Direito comemora história
Torre da Faculdade de Direito vai ser retirada para não cair
Torre da FDR tomba e aulas são suspensas  
Faculdade de Direito já está sem torre que ameaçava desabar
“A Casa de Tobias merece respeito

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.