Emlurb limpa rio e tartaruga luta para sobreviver no lixo do Capibaribe

Dá muita tristeza não só ver a Rua da Aurora desprovida de árvores e gramado, como observar o Rio Capibaribe, com tanto lixo boiando. E também enganchado na vegetação do manguezal, manguezal que funciona como um berçário da vida marinha. Sim, porque muitas espécies deixam o mar, reproduzem no mangue, ali crescem, e depois retornam ao oceano. Sinceramente, a falta de educação da população é muito grande.

Nesta semana, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) realiza mais uma ação de limpeza na área de manguezal da Rua da Aurora, o trabalho deve se encerrar hoje. Entre os dias 10 e 13 de janeiro, a Emlurb já havia  feito uma limpeza no local, e esta é a segunda etapa do trabalho. Ontem foi feita uma “faxina” na área de mangue próxima à Avenida Arthur Lima Cavalcanti, em Santo Amaro. A estimativa é que 15 toneladas de lixo sejam removidas desses locais nesses dias de trabalho.

No fim da primeira quinzena de janeiro, a Emlurb fez a limpeza das áreas de manguezais próximas à Avenida Doutor José Estelita e à Travessa da Detenção, perto da Estação Recife. Entre os resíduos mais comuns removidos pela autarquia estão garrafas PET, copos plásticos, objetos de madeira e utensílios domésticos. As equipes também já recolheram colchões durante os trabalhos de limpeza. “Os manguezais são importantes porque protegem a costa contra enchentes e contribuem para a manutenção da vida marinha, já que os peixes e outros seres vivos dependem desse ecossistema para completar o ciclo de vida”, lembra a Emlurb. Mas do jeito que a coisa vai, nem os animais conseguem sobreviver. Vejam o sacrifício desse cágado (ou tartaruga) para se locomover, em meio ao lixo do manguezal.

O vídeo com o flagrante do sofrimento do quelônio é do leitor Antônio Gomes da Silva Neto:

Leia também:

Capibaribe passa por limpeza na Aurora
Rio ganha faxina no Cais da Alfândega
Rio com lixo para turista ver
Rio Capibaribe ganha ação de limpeza: trabalho mensal devia ser diário
Barco recolheu 55 toneladas de lixo no Capibaribe em 2016
Vamos limpar o Rio Capibaribe 
Capibaribe ganha nova área de contemplação para combater o lixo
Capibaribe: novo centro de convivência
Ex rios, canais viram esgotos a céu aberto
Detonadas as margens do Capibaribe
Lixo tem dia de pescaria no Capibaribe
Barco solar para o Capibaribe
Não jogue eletrônicos no Capibaribe
Capibaribe: lixo é rua sem saída
Quanto mais se tira lixo, mais aparece
Resíduos deixados no manguezal são como garrote na veia: gangrenam o corpo
 

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Emlurb / Divulgação
Vídeo: Antônio Gomes da Silva Neto / Cortesia

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.