Cadê o “bosque” do Parque Urbano da Macaxeira?

O maior do Recife – possui dez hectares – e também um dos mais bonitos, o Parque Urbano da Macaxeira nem de longe está lembrando um parque. Com o verão, transformou-se em um areal. As  plantas estão morrendo à míngua, por falta de água, e só mesmo as poucas árvores  frondosas – não mais de cinco – resistem  com bravura à “seca” oficial. E o “bosque” ali implantado, terminou virando um amontoado de gravetos secos (foto acima).

Estive lá no último domingo, por volta de dez horas da manhã. Acreditem: eu era uma das três únicas pessoas que estavam caminhando no horário.  Além de dois homens que andavam, como eu, cruzei apenas com uma família, que tinha ido levar uma garrafa pet de um litro de água para regar uma muda de pau-brasil. Movimento, só no estacionamento, onde havia uma exposição de carros antigos, todos da marca Volkswagen, mesmo assim sob o sol. Ainda bem que o domingo era de céu nublado.

Observei que a situação do parque é muito triste. O seu lindo gramado cedeu lugar ao barro seco, que só falta rachar como os leitos dos rios em tempos de estiagem prolongada no Sertão. Os bosques que foram ali implantados tiveram suas mudas transformadas em gravetos. Poucas sobreviveram. Nos pergolados vizinhos aos bancos onde as pessoas podem sentar para conversar ou mesmo para contemplação, não há uma planta sequer para dar sombra.

As pérgolas poderiam estar verdes, recobertas por bougaviles ou rainhas da noite, até porque estas últimas não possuem espinhos, ao contrário das primeiras, vulgarmente chamadas no Recife de trepadeiras. Sem espinhos, a  rainha da noite quando ramifica fazem cobertas verdes e perfumadas. Não há registro de ação da motosserra insana na área, mas em compensação, as plantas estão condenadas à morte sem clemência. Eu realmente não entendo. O Recife está em “emergência climática” e, no entanto, cuida do verde desse jeito? Alguém entende isso? Aqui no #OxeRecife o que não falta é reclamação de leitor, acusando a situação das nossas árvores, parques, praças e jardins.

Leia também:
Parem de derrubar árvores (63)
O Recife tem quantas árvores?
Recife árido: emergência climática
Emergência climática: Recife mais verde é balela

Arboricídio vira caixa preta
Não matem nossas árvores
Verdade ou fake, 50 mil novas árvores?
Recife ficará mais verde até 2021
Recife: 4000 novas árvores em 2018
Selva de concreto, árvores e mutirão
O Recife vai ganhar 2 mil árvores
Recife da paisagem mutilada
Herança do arboricídio no Recife
Viva 2018, Recife
Exemplos de amor ao verde no Recife
Vem aí a Maratona Verde com 10 mil mudas para o Recife do arboricídio
Entre o arboricídio e a Maratona Verde
Maratona Verde já começou
Maratona Verde tem mutirão no Santana
Compensação pela selva de concreto
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
“Abaixo o arboricídio insano”
Bora Plantar está nas ruas
“Bora Plantar?” Chame o 156
Histórica, Praça Maciel Pinheiro vive a decadência e o abandono
Praça da República sem gramado

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.