Cprh assegura: praias sem risco

Se você está a fim de pegar um solzinho e um banho de água salgada neste sábado, não hesite. Nem no domingo.Estudos da Agência Pernambucana de Meio Ambiente (Cprh) assegura que as nossas praias estão próprias para banho.Mesmo tendo sido atingidas pelo vazamento de óleo combustível, naquele que foi considerado como o maior desastre ambiental do Litoral do Nordeste.
Foram examinadas amostras de 16 praias e todas foram  consideradas sem riscos. Os estudos foram  realizados pela Cprh, em parceria com outras instituições. Não foram detectados hidrocarbonetos, compostos orgânicos encontrados no petróleo e que, em grandes concentrações, podem causar danos à saúde.
 
“Duas baterias de análises foram realizadas com amostras colhidas nos dias 24, 26 e 31 de outubro. Os laudos saíram simultaneamente. A pesquisa mais recente teve à frente o Instituto de Tecnologia de Pernambuco – Itep, que avaliou as amostras coletadas nos dias 26 e 31 de outubro no litoral dos municípios de São José da Coroa Grande (foz do Rio Persinunga), Tamandaré (Boca da Barra, Carneiros e Tamandaré), Ipojuca (Maracaípe e Muro Alto), Cabo de Santo Agostinho (Suape, Gaibu, Itapuama e Paiva), Jaboatão dos Guararapes (Barra de Jangada), Paulista (Janga e Pau Amarelo), Goiana (Itapessoca) e Ilha de Itamaracá (Jaguaribe e Forte Orange)”, informou o Governo de Pernambuco..
 

O estudo envolveu a análise de 21 compostos da cadeia de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (tidos como HPAs) e o grupo conhecido por BTEX (Benzeno, Tolueno, Etilbenzeno e Xileno). O Itep avaliou todo este conjunto de substâncias para as amostras de águas colhidas no dia 31 e apenas do grupo BTEX para o material recolhido no dia 26. Em ambos os casos, os níveis desses compostos são tão baixos que os equipamentos não conseguiram detectar. Isso se deve a dois fatores: tempo de exposição do material no ambiente e a hidrodinâmica das marés. Já os pesquisadores do laboratório da OrganoMAR (UFPE) avaliaram as amostras colhidas no dia 24 de outubro, fazendo o diagnóstico específico para o grupo de HPAs. É incrível, o poder de regeneração da natureza. Mas é sempre bom lembrar: sem a ação do voluntariado, a “limpeza”  não seria a mesma.

Confira a tabela divulgada pela Cprh:

Leia também:
Desastre ambiental: viva a ação dos voluntários
Boa Viagem com piche. Que horror
Boa Viagem: #Sechegaragentelimpa
Pernambuco: 70 toneladas de óleo
Boa Viagem ganha exposição de fotos
Plásticos poluem Boa Viagem
Mutirões espontâneos contra o lixo
Boa Viagem: asfalto agora tem dono
A praia de Boa Viagem está limpa?
Ação contra exploração em Boa Viagem
Calçadas para carros em Boa Viagem
Boa Viagem com a cor do PSB
Há risco de tubarão em mar protegido?
Pernambuco: 70 toneladas de óleo
Óleo recolhido em 24h: 30 toneladas
Óleo: União é “inerte, omissa e ineficaz”

Longe dos ataques verbais de Brasília, Nordeste e Amazônia se entendem
Plásticos viram vilões de tartarugas 
Servidor federal é afastado porque fez a coisa certa na proteção ambiental
Taxa de Noronha não é roubo, mas recurso para proteger a natureza
Deixem que vivam as baleias
Colete três plásticos na areia
Litoral Sul terá área de proteção marinha
A matança dos guaiamuns ameaçados
Comer lagosta ovada é não ter coração
Disciplina para barcos no Litoral Sul 
Acordo na justiça para algozes do marlim azul
Fome, tortura, veneno e maniqueísmo 
O Brasil está virando o rei do veneno
Com tantos venenos liberados no Brasil, cuidado com o que você come

Texto e foto Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.