“A rua também é nossa”

Na minha geração, os brinquedos da infância – em boa parte –  ocorriam nos quintais de nossas casas ou no meio da rua. No quintal, sob a sombra de jaqueiras e mangueiras, o mais comum era o cozinhado, que fazíamos em panela de barro com feijão roubado da cozinha dos pais ou dos avós. Mas na rua, o leque de diversões era maior: roda, passarás, quatro cantos, bola de gude, amarelinha, academia, garrafão, melancia, jogo de queimado. Eram tantas as brincadeiras, que nem mais lembro de todas. Hoje, as crianças ficam confinadas em apartamentos, ligadas nos videogames, na TV. No momento, há uma mobilização no Recife para a retomada de espaços públicos que nos foram tão importantes no passado. O objetivo é fechar ruas pelo menos uma vez por semana, seja em bairros sofisticados ou populares. A iniciativa é da Pirilampo Criativo.

O Pirilampo Criativo é  um projeto da Usina da Imaginação, organização civil que atua nas comunidades da América Latina, com a promoção de ações educativas e de arte para crianças. “Queremos mostrar a potencialidade e pluralidade que a rua possui. Ela não é apenas caminho e acesso. A via é lugar de existência, diversão, aprendizado, coletividade e, principalmente, para as crianças pequenas, a rua deve ser lugar de encontro e do brincar”, afirma Rita de Cássia Oenning da Silva, diretora executiva da Usina da Imaginação e coordenadora de Pirilampo Criativo Lab. Durante o ano, as instituições promovem, desde 2011, a Festa dos Becos  (fotos) no Arruda, Campo Grande, e outros bairros da Zona Norte. Durante um turno, uma das ruas do bairro é fechada para que crianças ocupem o espaço, se reconectando com as clássicas brincadeiras de locais públicos com segurança.

Para a Usina da Imaginação, a  tranquilidade de brincar na rua, com segurança e espaço dedicado apenas a essa prática, ainda não é realidade de muitos bairros do Recife. “Seja morador de comunidade periférica ou da classe média e alta, o distanciamento do convívio em espaços públicos vai comprometendo o desenvolvimento de crianças, em especial as que possuem até seis anos de idade”. Foi por isso que o Pirilampo Criativo  desencadeou a campanha A Rua também é nossa.

O objetivo é coletar 2 mil assinaturas, para que  o fechamento de ruas – pelo menos uma vez por semana – seja transformado em lei. De hoje (1/11) a 12 de novembro, voluntários vão se intercalar no Centro, na Zona Sul, Zona Norte e Zona Oeste. Estarão nos bairros Arruda, Recife Antigo, Boa Vista, Santo Antônio, Campo Grande, Graças, Iputinga, entre outras áreas, para explicar a proposta à população. “É um trabalho de sensibilização com os moradores para que se apropriem de seu espaço geográfico e político, mostrando seu protagonismo na busca por melhorias para as comunidades em prol das crianças pequenas”, coloca Kurt Shaw, coordenador do Projeto e diretor executivo de Usina da Imaginação.

A presença dos voluntários visa buscar assinaturas e apoio para o documento sobre o assunto. Ele também está disponível no https://aruatambemenossa.org/. A expectativa é de atingir duas mil assinaturas até o dia 12 de novembro. Após o prazo, o resultado da campanha será apresentado à Prefeitura da Cidade do Recife para se transformar em lei. No Recife, há apenas duas áreas em que as ruas são fechadas sistematicamente, para que sejam ocupadas pela população. Ambas, por iniciativa da Prefeitura. Aos domingos, a Avenida Boa Viagem (Zona Sul) é fechada à altura do Segundo Jardim, para atividades físicas e de lazer. Já o Bairro do Recife tem suas ruas interditadas ao último domingo de cada mês, para o Recife Antigo do Coração.

Leia também:
Eça praça é mesmo nossa
Sementes que brotam na Zona Norte
Isso não é um assalto. É horta no asfalto

Mais Vida nos morros ganha prêmio

CurioCidades: o Recife turístico e afetivo de 40 fotógrafos
Nova fase para o Mais Vida nos Morros  
Laboratório da Paz transforma morros
Alto Sustentável completa cinco anos
Alto José Bonifácio está mais colorido
Morros começam a ganhar hortas
Troque uma muda por uma ideia
Mais Vida nos morros do Vasco
Que tal turismo nos morros coloridos?
A paisagem colorida do Córrego do Jenipapo

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife

Fotos: Usina da Imaginação / Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.