União Mães de Anjos em fotografias

Se você for  até o próximo dia 31 de outubro à Livraria da Praça, em Casa Forte, não deixe de visitar a exposição de fotografias Toda Criança é Especial, abordando cenas do cotidiano de famílias que possuem filhos com microcefalia, decorrente da Síndrome Congênita do Vírus Zika. A mostra, inaugurada na Semana da Criança, foi organizada pelo  Instituto Luz Natural, entidade sem fins lucrativos, que usa a fotografia como ferramento de mudança social. A exposição aborda famílias atendidas na UMA, União das Mães de Anjos, entidade criada para dar suporte às famílias atingidas pela microcefalia que assombrou o Brasil e o mundo, a partir de 2015, quando suas causas ainda eram um mistério para cientistas.

Ao contrário do que poderia se esperar de situação tão dolorosa, as 20 fotografias mostram momentos de descontração e alegria. Elas trazem o olhar de duas profissionais: Simone Silvério e Andréa Leal. A primeira esteve  na casa das 20 famílias com filhos com microcefalia em 2018, quando retratou as crianças. As fotos tiveram interferência do artista plástico Alyson Carvalho. Em 2019, Andréa Leal documentou a realidade atual das crianças junto com suas famílias.

O objetivo da iniciativa é chamar a atenção das autoridades e da sociedade em geral para o drama  das crianças atingidas pela Zika. A exposição é um apelo para que esses pequenos pacientes não caiam no esquecimento e sejam atendidos nos seus direitos. Os pais trazem queixas quanto a dificuldades para inserção escolar e medicamentos, por exemplo. A explosão dos casos de microcefalia – em 2015 – chamou a atenção de cientistas do mundo, mas passado o período inicial, muitas famílias não conseguem, sequer, manter tratamento e terapias de estímulo, fundamentais para melhorar a qualidade de vida das crianças.

“Falta muita assistência. Vivenciamos um descaso com essas crianças. Fomos esquecidas na sociedade, no mundo. David toma cinco medicações e apenas uma pego  gratuitamente na farmácia do Estado. Até hoje ele se alimenta com sonda e aguarda tratamento de gastrenterologia para iniciar a alimentação”, diz Cândida Costa, mãe do pequeno David. “João Guilherme teve ganhos notáveis, crescimento do perímetro craniano, melhora na visão, na cognição e coordenação motora, tudo graças a terapias de cortesia. Ele veio para desafiar os diagnósticos médicos e nos ensinar o verdadeiro significado de amar”, afirma Verônica,  mãe do pequeno.

“Saber que teu filho tem uma deficiência não é para toda família. Família é aquela que abre mão dos senhos sonhos, de sua vida, pois aprende com um novo sonho que surge a cada dia”, ensina Bárbara Ferreira, mãe de Bernardo (foto ao lado,com o filho, o marido Mohabe e a filha Mohanny. “Um anjo entrou na minha vida de forma inesperada, esse anjo veio trazendo um milhão de dúvidas e medos”, diz. O  Luz Natural  já tinha feito exposição com crianças com Síndrome de Down.

Serviço:
O quê: Exposição “Toda criança é especial”
Onde: Livraria da Praça, Praça de Casa Forte, 454
Horário: 10h às 20h
Quanto: acesso gratuito (fotos não estão à venda)

Leia também:
Cultura inclusiva em curso gratuito
Saga de Bruno Ribeiro vira cordel
Com o coração se faz uma canção
Portadores de Síndrome de Down ganham curso de jornalismo em PE
Síndrome de Down: Expedição 21
Caminhada para cadeirantes fez sucesso
A luta por inclusão e acessibilidade
Renata Tarub: dança e inclusão social
Jovens da Apae mostram seus talentos
O “ser humano encantado do frevo”
O frevo inclusivo de Werison
Esplendor e cinema para cegos
Festa inclusiva no Parque da Jaqueira
Com respeito construímos a igualdade
Bruno, exemplo a ser seguido
Bruno, exemplo para todos
Encontro na estrada: passeio inclusivo

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos:  Simone Silvério  e Andréa Leal   / Divulgação / Instituto Luz Natural 

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.