Domingo de passeio ao passado

Criado com o objetivo de lutar pela manutenção e preservação dos nossos monumentos, o Grupo Preservar Pernambuco  realiza uma curiosa caminhada no domingo (20).  É que os participantes, que tanto andam pelas ruas do Recife, vão saber melhor como nossa cidade já foi. Vejam só o nome do passeio: Que tal  conhecer uma parte do Recife que já existiu? E tem sua  razão de ser. Ao observar fotografias e postais antigos, a gente percebe como tão linda era nossa cidade, hoje conturbada pelo trânsito, vítima de aterros, da especulação imobiliária e também do descaso com seu  patrimônio arquitetônico  histórico.

O Preservar Pernambuco está em via de se transformar em organização não governamental (em processo de registro). E o passeio é organizado por um dos braços da futura Ong, o Bora Preservar. “A nossa ação será para lutar  junto ao Iphan e demais órgãos competentes, pela preservação do nosso patrimônio material”, conta Denaldo Coelho, engenheiro civil e um dos fundadores da futura Ong. “Já o Bora Preservar é o braço da Preservar Pernambuco para passeios, visitas contemplativas e explicativas”, conta. Os integrantes se comunicam em encontros ou através das redes sociais.

Um dos primeiros alvos do Preservar Pernambuco é o Forte do Picão que, apesar da importância histórica, está em ruínas, não tem placas explicativas e vive às escuras . “Nós o adotamos como o primeiro projeto, vamos lutar pelo seu resgate, pela sua iluminação e por sinalização turística”, diz. No passeio de domingo, o Forte do Picão estará em pauta, na passagem pelo Marco Zero (apenas a sua história, pois não haverá passeio de barco ao local).

Ente os locais visitados e que terão explicações sobre o passado, encontram-se: a Ponte Giratória (que infelizmente não gira mais); a Matriz do Corpo Santo (era linda, mas foi demolida para ampliação do bairro do Recife); os Arcos do Recife (o Bom Jesus, Santo Antônio e Conceição). Também serão visitados prédios que sobreviveram à modernização, como a Galeria Chanteclair (em restauração), o Paço Alfândega e ainda a Igreja da Madre de Deus. O ponto de encontro será  o Cais da Alfândega, no Bairro do Recife, bem pertinho da antiga Ponte Giratória. Horário: 8h. Vamos?

Serviço:
O quê: Passeio explicativo, “Que tal conhecer uma parte do Recife que já existiu?”
Por quem: Grupo Preservar Pernambuco, através do Bora Preservar
Quando: Domingo, dia 20
Horário: 8h
Local do encontro: Paço Alfândega, Cais da Alfândega,ao lado do Rio Capibaribe, pertinho da antiga Ponte Giratória

Leia também:
O Recife através dos tempos
Vamos salvar o centro do Recife?
Sessão Nostalgia: os cafés do século 19 e a cidade que queria ser Paris
Caminhada com atitude: foi criado movimento SOS para o Forte do Picão
Forte do Buraco: tombado, destombado, tombado de novo, lindo e abandonado
Fortim do Bass: inédita relíquia de areia
São José e Santo Antônio ganham livro: viagem de quatro séculos de história
Caindo sobrado onde nasceu Nabuco
Lixo e abandono na casa de Clarice
Chalé do Prata começa a desabar

Turista, placa apagada e boi voador 
Confusas, placas são recuperadas
Sinalização irracional e poluição visual
Lembram dele? O caso único  do edifício que teve duas fachadas simultâneas
Recife Antigo merece respeito 

Os primeiros das Américas
Olha! Recife explora a arquitetura da cidade 
Art déco: Miami ou Recife
Aluga-se um belo prédio na Bom Jesus
O charme dos prédios da Bom Jesus
A presença estrangeira em nossa história
Passeio por 482 anos de história
Resgate histórico no Beco do Camarão

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Preservar Pernambuco / Cortesia 

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.