“Abraço” em praça será protesto

Incomodados com a falta de respeito à legislação quanto ao licenciamento de novos edifícios, moradores da Zona Norte ocupam no sábado (12/10) a Praça Lula Cabral de Melo, para comemorar o Dia da Criança, com uma série de brincadeiras: pula – pula, piscina de bolinhas, algodão doce, pipoca. A festa, no entanto, tem sabor de protesto: terminará com um grande abraço na Pracinha do Parnamirim, como também é chamada o principal ponto de referência do bairro.

A mobilização é um meio de  mostrar que a população não concorda como a forma como a Prefeitura vem autorizando a liberação de grandes empreendimentos para a Zona Norte, já totalmente estrangulada. “Você sabia que está sendo construído um colégio GGE na Praça Lula Cabral de Melo, também chamada de Pracinha do Parnamirim? A obra, em estágio avançado de construção, foi aprovada pela Prefeitura do Recife, apesar da Lei dos 12 Bairros, e foi iniciada sem nenhuma discussão com os moradores da Região em desacordo com o que determina a legislação municipal”, dizem os organizadores da “festa”.

Os chamados “Amigos do Parnamirim” que já foram até à Cãmara dos Vereadores, para discutir o assunto, e exigir medidas compensatórias para o bairro. O  encontro foi articulado com o vereador Jayme Asfora (sem partido), que ficou encarregado de enviar um relatório com as exigências dos moradores à Prefeitura.

O colégio fica de frente para a Rua Desembargador Góis, uma das mais estranguladas da Zona Norte do Recife. Os proprietários alegam que vão estimular os alunos para que façam o percurso casa-colégio a pé ou de bicicleta. No entanto, o bicicletário previsto no projeto original só tem vagas para doze bikes, uma D-Ú-Z-I-A, enquanto o colégio terá nada menos de 1.200 alunos. Para os organizadores da “festa”, a escola trará “grande impacto para a qualidade de vida e para o  já caótico trânsito da região, afetando a mobilidade de milhares de pessoas”. O GGE é o segundo caso de insatisfação de moradores da Zona Norte, com a forma como os grandes empreendimentos vêm sendo impostos aos bairros, sem nenhuma discussão com as comunidades. No Poço da Panela, a confusão também é grande por conta da construção de uma grande loja de materiais de construção no bairro. Mais informações sobre os dois casos, nos links abaixo.

Leia também:
CCE: “Amigos do Parnamirim” cobram transparência e respeito às leis

Lojão e colégio: confusão na Zona Norte
E o pedestre, como é que fica?
Parem de derrubar árvores (134)
Da árvore só restou o pó de serra
Moradores rejeitam lojão no Poço

O Poço da Panela resiste
Poço da Panela: plantio de árvores contra Atacado dos Presentes

História do Jardim Secreto para Crianças
Gentilezas urbanas do outro lado do rio
Primeiro transplante urbano é no Jardim Secreto
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
Lei para conter o arboricídio

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.