Teatro de Osman Lins em discussão

O teatro de Osman Lins está em discussão em quatro cidades pernambucanas. Pelo menos, esse é o objetivo do Projeto Formação e capacitação: Iniciação Teatral, um olhar lúdico sobre a dramaturgia de Osman Lins, que teve início em Camaragibe – na Região Metropolitana do Recife – e que agora começa a percorrer as três outras, cada uma delas em uma macro-região de Pernambuco: Vitória de Santo Antão (Zona da Mata), Limoeiro (Agreste) e Serra Talhada (Sertão). O projeto é voltado para jovens e adolescentes residentes naqueles municípios. Cada cidade contará com oficina de iniciação teatral, valorizando a dramaturgia de Osman, que entre outras peças escreveu Lisbela e o Prisioneiro, A Idade dos Homens, O Mistério das Figuras de Barro e a infantil Capa Verde e a Noite de Natal, essa última resultante de um pedido feito pela filha do meio – eu, no caso – que lhe sugeriu uma peça de teatro como presente de Natal (na verdade, meu sonho de criança era ver a montagem pronta, no palco…)

Em cada Cidade terá oficina de iniciação teatral valorizando a dramaturgia de Osman Lins, com professores de teatro que residam naquelas cidade. Também será disponibilizada uma mestra da teoria da literatura, que fará capacitação com professores sobre o autor em questão, situando eles na dramaturgia de Osman Lins. Cada cidade escolherá um fragmento da peça do autor e fará um esquete teatral que será apresentado na localidade. No final, todos os esquetes serão apresentados na cidade de Vitória de Santo Antão, lugar onde nasceu o autor, situando o público sobre um dos escritores pernambucano mais importante do século XX. O projeto atenderá a 100 (cem) alunos, sendo 25 (vinte e cinco) alunos por cidades com carga horária total de 84 horas/aula por curso e em sua culminância, cada grupo fará 2 (duas) apresentações ( uma na própria cidade, e outra na cidade de Vitória de Santo Antão,).

Na conclusão do curso os alunos serão certificados. Após a apresentação dos esquetes haverá uma breve roda de diálogo com a platéia levando o público a uma reflexão sobre a importância de conhecer um escritor tão renomado e buscando assim a construção de sua identidade cultural. Emanuel David D’Lucard, ficou com o curso na cidade de Camaragibe, na Associação De Mulheres do Loteamento Santana. Leonardo Edardna, ficou com Vitória de Santo Antão no espaço do Teatro SOLIGEU. Charlon Cabral responde por Limoeiro, no Centro de Criação Galpão das Artes. E Carlos Silva ministra o curso na cidade de Serra Talhada na Fundação Cultural Cabras de Lampião. As oficinas acontecem no período de outubro de 2019 a fevereiro de 2020. A produção executiva do Projeto é de Geraldo Cosmo. Em Limoeiro, a  77 quilômetros do Recife, o Projeto será lançado com aula solene, no dia 6 de outubro, no Centro de Criação Galpão das Artes. “Vambora?”

Leia também:
Ditadura: a dificuldade dos escritores

Santa Isabel tem Problemas Inculturais
Cartas inéditas entre Osman Lins e Hermilo chegam ao palco

Marcha Fúnebre de Osman Lins tem exibição no Arquivo Público

O mergulho  na obra de Osman Lins
O dia que esqueci que sou repórter
Só dá mulher em Lisbela e o Prisioneiro
Lisbela e o Prisioneiro está de volta
Cobogó das Artes tem curso de férias
Recife Literário com atitude  

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto:  Arquivo #OxeRecife ( Lisbela e o Prisioneiro / Cobogó das Artes)

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.