Cidadania a pé, como?

Hoje, meio gripada, fiz uma caminhada menos longa pela Zona Norte.  Andei inclusive por toda a Rua da Harmonia, onde constatei que é simplesmente desastrosa a situação das calçadas daquela via, uma das mais movimentadas do bairro de Casa Amarela. Por pouco, não voltei a me acidentar no desnível de uma calçada. O pé até que torceu, mas consegui evitar que o pior acontecesse e saí andando sem precisar de algum tipo de apoio.

O pior é que aquela situação é bem juntinho de uma parada de ônibus e, portanto, tem grande movimento de pessoas. Um homem que esperava o coletivo, ao me ver tombar comentou. “Todo mundo do bairro já reclamou, eu mesmo tirei fotos,  mandei para jornal, para os órgãos oficiais mas ninguém faz nada”. E acrescentou: “Muita gente já caiu aí”, avisou o cidadão, que esperava transporte ao lado do buraco.

Do mesmo lado direito no sentido Avenida Norte – Rua Conselheiro Nabuco, há problemas até mesmo em calçadas de repartições. É o caso da calçada da Central de Saúde Mental (foto acima à esquerda) que fica também na Rua da Harmonia. Ela está na terra batida e totalmente irregular. Os pedaços em cimento são os que restam de uma calçada que se foi há muito tempo e que nem é digna desse nome. Agora pergunto aos especialistas: quando a calçada é de repartição estadual, de quem é a responsabilidade pela sua manutenção? A Prefeitura ou o governo do Estado?

Seja como for, o desrespeito é completo e absoluto ao cidadão. É verdade que há umas calçadas sendo implantadas em alguns locais como a Boa Vista, Jaqueira e Graças. E por que não Casa Amarela, que é um dos mais populosos do Recife.

Como tenho me queixado e relatado aqui, já sofri vários acidentes por conta das calçadas e ruas assassinas do Recife. Já lesionei ligamento do tornozelo, já quebrei a fíbula e já precisei imobilizar o pé outras três vezes devido aos nossos traiçoeiros passeios públicos. Meu Deus, a gente paga imposto para quê? Para cair? Vejam a situação dessa tampa de galeria pluvial (foto ao lado), em outra calçada.

Esta fica bem pertinho da esquina da Estrada do Encanamento com  da Rua da Harmonia.  Essas famigeradas tampas duplas (não sei quem as inventou) estão, em 90 por cento dos casos, oferecendo riscos. Encontram-se afastadas, quebradas ou com ferragens expostas. Em muitos casos, com uma das bandas tendo cedido. Para quem costuma caminhar à noite, o rico é maior ainda.A gente paga imposto prá quê? Cidadania a pé é bom e eu gosto.

Leia também:
Oxe, cadê as calçadas da Avenida Norte?
Andando sobre o inimigo
Calçadas pedem socorro no Recife
Já torci o pé três vezes nas calçadas
Placas de concreto parecem de areia
Cadê a calçada daqui? Oxe, Recife
Os cem buracos do meu caminho
Perigo à vista na Rua do Futuro
Quem inventou as famigeradas tampas duplas para nossas calçadas?
Quem chama isso de calçada…
Acidente em calçada requer até Samu
Pedras portuguesas? Onde estão?
Cadê as pedras portuguesas?
Os remendos nas pedras portuguesas
Santo Antônio sem pedras portuguesas
Pedras portuguesas: isso existe?
Cadê o respeito aos cadeirantes?
Cadeirante merece mais respeito
Recife: calçadas e ruas assassinas

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.