Dia da Árvore: a “Vovó” do Tapajós

No Dia da Árvore, a homenagem do #OxeRecife vai para a “Vovó”, como é conhecida a gigantesca sumaúma que transformou-se na principal atração da Floresta Nacional do Tapajós (a Flona), uma das unidades de conservação mais visitadas do Norte do Brasil, que se espalha por 527.319 hectares e quatro municípios do Pará (Aveiro, Belterra, Placas e Rurópolis).

Na Flona, todos os caminhos levam à “Vovó”, normalmente o ponto final das trilhas ali realizadas, cujos percursos variam de 10 a 18 quilômetros em meio ao silêncio da natureza, aos cantos dos pássaros e aos muitos aromas do verde. A “Vovó” é tão gigantesca que a gente desaparece aos seus pés. Uma divindade. Para mim, uma rainha. Mas as rainhas são muitas no meio da maior floresta tropical do mundo. E é por isso que a Brigada de Amigos Defensores da Ecologia e dos Recursos Naturais da Amazônia (Baderna), faz uma festa hoje em Santarém, em “homenagem à nossa rainha,a árvore”, como ressalta o coordenador da Baderna, professor Pedro Paulo Siqueira Ferreira.

A Baderna, como já relatei aqui, tem um belo trabalho em defesa  da Amazônia:  quer plantar 1 milhão de árvores naquele pulmão do mundo, tão agredido, tão devastado e, ultimamente, sofrendo a ação de criminosas queimadas. “Vamos reconstituir o que foi destruído e recompor as condições naturais para a produção da qualidade ambiental que necessitamos, para manter o ciclo natural da água, a biodiversidade e combater o aquecimento global  e as mudanças climáticas”, diz o ambientalista. Ou seja, plantar é preciso. Sem nossas “rainhas”, como fica a sustentabilidade ambiental?

No Recife,  o dia será comemorado no Econúcleo Jaqueira e no Jardim Botânico. No primeiro, entre as atividades do final de semana haverá a Caminhada Ecológica Escutando o Pulmão do Mundo, em duas sessões: às 9h30m e às 14h.  Já no Jardim Botânico, no Bairro do Curado, às 10h tem  a gincana Descobrindo as Árvores do Jardim, na qual os participantes receberão a missão de achar espécies do JBR. Em Orobó, no Agreste de Pernambuco, a Reserva Florestal Fazenda Verde – que é particular – abre as portas para que crianças da rede municipal de ensino façam trilhas e aprofundem os contatos com a natureza.

Leia também:
No Dia da Amazônia, viva à natureza
“Já me falta ar para falar das florestas”
#JuntospelaBiodiversidade
É verdade que a piranga é afrodisíaca?
Por um milhão de árvores na Amazônia
Rio Tapajós ganha abraço e árvores
Araras são repatriadas para a Amazônia
Longe dos ataques verbais de Brasília, Nordeste e Amazônia se entendem

O barco xará que achei em Santarém
Parem de derrubar árvores (no Pará)
As festas dos ipês no Recife e no Pará
Intimidade com a natureza em Alter do Chão
A sede no “mar” de água doce
Santarém além do Rio Tapajós
O sobe e desce do Rio Tapajó
Dia Mundial de Áreas Úmidas passa em branco no Recife

Baderna com carnaval ecológico
Tartarugas voltam ao rio no Pará
As matas de cimento em Paulista

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.