Mustardinha: Ecobarreira vai a São Paulo e Paraguai

Muito bacana essa meninada da Escola Municipal Professor Antônio Brito Alves, que desenvolveu uma barreira para retenção do lixo que polui o Canal do ABC, que passa ao lado do estabelecimento no bairro da Mustardinha, Zona Oeste do Recife. Pois o Projeto Ecobarreira: Estratégia de Educação Sustentável para recuperar o Canal do ABC chegou mais longe.  Participa de feiras estudantis em São Paulo e em Assunção, Paraguai.

Uma equipe esta na Feira Internacional de Ciências e Suas Tecnologias – Mescientec, que acontece até o próximo dia 13 em Assunção, que acontece naquele país. Uma outra está em São Paulo, para a  1ª FeNaDANTE: Feira Nacional de Ciência e Tecnologia Dante AlighieriO trabalho foi credenciado para o evento internacional durante a 4ª Feira de Conhecimentos da Rede Municipal do Recife. O Ecobarreiras consiste na junção de pequenas garrafas pets conectadas umas às outras através de um cabo até formar uma grande rede. O protótipo foi instalado no canal ABC, com a função de criar uma barreira e, assim, fazer com que o lixo fosse detido e não seguisse o fluxo das águas. O colégio fez uma parceria com a Emlurb, que recolhe o lixo ali retido.  Acompanhe, na galeria de fotos, como ele funciona:

Os alunos Gleybson Waldir de Souza Suruagy e Maria Clara da Silva Sales representarão a equipe composta de 25 estudantes no Paraguai, e estarão acompanhados de uma das professoras orientadoras do projeto, Maria Das Dores da Silva Lopes. A inovação incentivou a comunidade a reduzir o descarte de recicláveis antes mesmo de serem lançados no ambiente.  E isso é muito bom.  Parabéns, portanto, aos mestre se aos alunos preocupados com o meio ambiente.O trabalho teve como vertentes, atividades de Educação Ambiental voltadas para a população local, focado na sensibilização da problemática do lixo nos canais e seus impactos, bem como na importância da coleta e reciclagem.

A Muescientec  é promovida pelo Colégio San José em parceria com o Centro de Educação Sagrado Coração de Jesus (Salesianito). Os estudantes participam nas categorias investigadores infantis (11 a 15 anos – Fundamental) e investigadores juvenis (16 a 18 anos – Médio e Técnico). Participam projetos das áreas de Meio Ambiente, Agroindústria, Engenharia e Tecnologia, Medicina e Saúde, Biologia, Química, Física e Ciências Sociais, elaborados durante o ano ou aprovados em feiras afiliadas. O Projeto também está 1ª FeNaDANTE: Feira Nacional de Ciência e Tecnologia Dante Alighieri, de 11 a 14/09, no Colégio Dante Alighieri, no Morumbi, São Paulo. O estudante Carlos Henrique Barbosa da Silva e o professor Alexandre Conte Oliveira apresentarão a Ecobarreira nesse evento que reúne projetos em todas as áreas de pesquisa feitos por estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio de todo o Brasil.

Leia também:
Alunos “derrubam” 70.000 concorrentes
Estudantes de Escola Pública embarcam para Nova Iorque (Genius Olympiad)
Alunos de escola estadual em Bezerros desenvolvem aplicativo para Fenearte
Alunos fazem aplicativo para Fenearte 
Drama da Paixão: aplicativo para turistas
São João: estudantes criam aplicativo
Na contramão do governo Bolsonaro
Criança Alfabetizada: destaque na educação dará prêmio a prefeitos
Os idiotas úteis e o idiota inútil

Pet vira barreira para reter lixo em canal
Mais 19 anos sem saneamento. Pode?
 Recife, saneamento, atraso e tigreiros
Era um riacho, mas leito espesso parece asfalto
Riachos podem ser recuperados
Riacho Parnamirim ainda tem jeito
Dejetos infectos no meio do caminho
Dejetos infectos em Casa Forte

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Andréa Rego Barros / Divulgação / PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.