De Volta às Raízes mobiliza Camaragibe

Lançado em agosto passado, o Projeto De Volta às Raízes vem mobilizando a comunidade de Camaragibe e outros municípios não só da Região Metropolitana, como da Zona da Mata, Agreste e Sertão. Eles têm trocado experiências e feito intercâmbio cultural com o Museu de Cultura Popular Vera Galvão , que  fica em Camaragibe e que é gerido pelo Centro Comunitário Vivendo e Aprendendo. Entre as entidades que se engajaram ao Projeto, encontram-se o Museu Poço Comprido (Vicência), o Centro de Criação Galpão das Artes (Limoeiro) e o Museu do Cangaço (de Serra Talhada).

O Vera Galvão funciona à Rua Fróis de Abreu, 140, no Celeiro das Alegrias Futuras. O De Volta às Raízes tem duração de doze meses, e inclui aula-espetáculo, discussões sobre formas de gestão e sustentabilidade de museus,  apresentações artísticas trazidas por instituições convidadas, oficinas, contação de histórias, jogos teatrais e outras iniciativas que contemplam a memória e a cultura popular. As escolas e instituições beneficiadas com o Projeto já foram selecionadas. Mas as que desejarem realizar a visita mediada em outros dias e horários poderão entrar em contato com o Centro Comunitário Vivendo e Aprendendo, para fazer o agendamento.

A entrada para o público em geral custa apenas R$ 2,00. As visitas são mediadas pela própria Vera Galvão, criadora e coordenadora do Museu, que foi inaugurado em 28 de agosto de 2016. E que  celebra o seu  aniversário com o lançamento do Projeto de Volta às Raízes, que prevê a realização de ações educativas pelo período de um ano. E também 40 visitas guiadas para estudantes de Camaragibe e cidades próximas. O público alvo é formado por alunos da rede pública de ensino, participantes de projetos sociais, mestres e grupos culturais. E o Projeto também se destina ao público com deficiência motora, intelectual, visual e/ou auditiva atendido por centros e associações.

O Museu é gerido pelo Centro Comunitário Vivendo e Aprendendo, organização social referência nas áreas de cultura e educação popular em Camaragibe e está localizado em um prédio anexo a sede do Centro. O Projeto De Volta às Raízes tem apoio do Funcultura. No espaço externo do Museu é possível apreciar réplicas de bioconstruções (casa de taipa, fogão a lenha, jirau, galinheiro e moinho de cana), um roçado tradicional com plantações de alimentos, plantas medicinais e ornamentais.  No interno, há três salas com um acervo de mais de 500 peças que retratam o cotidiano das moradias antigas, com objetos ornamentais e utilitários, vestuários, brinquedos, ferramentas de trabalho, símbolos religiosos, aparelhos de rádio e telefones utilizados no século passado. Há peças criadas a partir da chegada da eletricidade. Os visitantes também poderão conhecer sobre as memórias históricas e artísticas de Camaragibe, assim como adquirir lembrancinhas na Bodega Solidária, uma exposição permanente de vendas de produtos artesanais de pessoas/grupos de Camaragibe formando uma rede de economia solidária. Informações e agendamentos pelo telefone (81) 34582211

Serviço
O quê:
Museu de Cultura Popular Vera Galvão
Endereço: Rua Fróis de Abreu, 140, Celeiro das Alegrias Futuras, Camaragibe
Telefone: 34582211
Horário de funcionamento: das 9h às 16h, quartas e sextas
Ingresso: R$ 2

Leia também:
Bonde vira peça de museu e trilhos somem do Recife sem memória
O homem que fundou e mantém um museu
Museu do Una faz bingo e cantata natalina
A Maria Fumaça que quase vira sucata
Boa Viagem ao Brasil do século 17
Igarassu preserva 500 anos de história
Violeiros, cantadores e poetas em Feira
Massacre de Angico em palco ao ar livre
No Sertão, na trilha de Lampião
Lampião: bandido, herói ou história?

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Jennyfhem Mendonça / Divulgação / Museu de Cultura Popular Vera Galvão

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.