Soledade tem rock no “Pantanoso Fest”

Em terra de rios, caranguejos, mangue, berçário do manguebeat e em tempos de um Brasil politicamente mergulhado na areia movediça, nada mais sugestivo do que o nome do evento: Pantanoso Fest – que acontece hoje, no Recife. Onde, no passado, as bandas pesadas dos mais variados estilos se uniam e organizavam pequenos festivais por conta própria. Admiradores do metal, punk e hardcore se encontravam em bairros centrais e periféricos para prestigiar artistas locais e interagir pessoalmente. É nesse espírito, de celebração e união, que ocorre a primeira edição do Pantanoso Fest. A festa começa a partir das19h, no DarkSide Estúdio, que fica na Rua Barão de São Borja, 89, Soledade. Ou seja, música pauleira não falta nesse feriado.

E os ingressos são baratinhos: R$ 10. Haverá shows de Dom Lodo (foto acima), Slowner – ambas de doom metal – e Brutal Order, calcada no thrash metal. O DJ Osman Frazão completa a programação da noite. No local. haverá ainda venda de comida vegana (melhor do que os famigerados e gordurosos hamburguers) , sorteio de uma bolsa de viagem da Fag e de um Kit Vegano. A ideia inicial partiu da Dom Lodo, que convidou as outras bandas a participar do projeto. “Mesmo no âmbito nacional, é muito difícil para bandas e produtores da cena do metal sobreviverem. Resolvemos nos juntar para produzir o evento, investir em shows próprios, fazer a coisa acontecer”, destaca Anderson Mutley, vocalista e baixista da DL.

Para Lulu Batera, integrante da Brutal Order (ao lado), a realização do Pantanoso Fest traz de volta a força de cooperação que havia no passado, antes do surgimento da Internet. “A galera saía de suas casas para ir às apresentações. Rolava shows em bairros como Curado, Casa Amarela, Alto José do Pinho, com bandas de estilos diversos. A coisa funcionava”, relembra o músico.

O guitarrista Lucas, da novata Slowner (à direita), defende que os grupos precisam se movimentar e não depender apenas da iniciativa de produtores de shows. “Tem muita banda autoral precisando de espaço e a gente também pretende organizar nossos próprios eventos”, adianta. O Pantanoso Fest tem apoio do Tropical Audio, Darkside Studio, Fag Bolsas e Acessórios, Veganos Ativos e Interdependentemúsica e conhecimento. Dom Lodo foi criada em 2007, com o nome Electric Mooker, com influências de bandas pioneiras do heavy, doom metal e do stoner. É a mais antiga das três que se apresentam no Pantanoso Festival. A Brutal Order é de 2017, e a Slowner, de 2018.

Veja mais sobre as bandas, nos seguintes links:
Dom Lodo – https://domlodo.bandcamp.com/ e https://www.facebook.com/lododoom/
Brutal Order –  https://www.facebook.com/brutalorder/   e https://brutalorder.bandcamp.com/
Slowner –  https://slownerband.bandcamp.com/ e https://www.facebook.com/slownerband/

Leia também:
Festival agita Pina e Brasília Teimosa

Salu, música e boa ação
Poesia oral tem nova cara
Cannibal, Devotos, rock e  punk em livro
Cultura underground em discussão
A arte que vem do Alto José do Pinho
Alto José do Pinho está mais colorido
Cultura e Caos Suburbano agitam Alto José do Pinho
Outras palavras no Cinema São Luiz
Manguebeat no Pátio de São Pedro
 “Palestina” do Recife: “Cadê nosso país”?

Serviço
Pantanoso Fest – Dom Lodo, Brutal Order e Slowner
Sábado, 7 de setembro, a partir das 19h
Onde: Darskside Studio, rua Barão de São Borja, 89 – Soledade – Recife
Ingresso: R$ 10
https://www.facebook.com/darksiderecife/

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação / Pantanoso Fest

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.