“Lua de Sangue” chega a Olinda

Não sou muito chegada a dramas – livros, filmes, peças de teatro – sobre vampiros. Mas no último domingo estive no Teatro Apolo para assistir a Lua de Sangue, peça de Robson Teles, cujos personagens pertencem a esse mundo fantástico, normalmente tão sombrio. Apesar da temática, Lua de Sangue é pura e alegre diversão. É que ao contrário do que sugere o nome, não é drama. É comédia. E das boas. Todo mundo morreu de rir, inclusive eu, durante a encenação. A peça, com direção de Adriano Portela, do Cobogó das Artes, já passou por Salgueiro e Recife. Ganhou aplausos e criou a maior empatia com o público na cidade sertaneja. E, por duas noites, lotou o Teatro Apolo, no Recife. No sábado (24), a vampirada toda desembarca em Olinda, para mais uma encenação. Dessa vez, no Teatro Bonsucesso, às 19h.

Lua de Sangue estreou na semana passada, em festival na cidade de Salgueiro, a 518 quilômetros do Recife. E fez o maior sucesso entre o público daquela região, onde muita gente jamais havia pisado em um teatro. Mas o texto leve, acessível e a encenação movimentada – inclusive com dança – levou o público sertanejo ao delírio, o que emocionou o diretor do espetáculo e criador do Cobogó das Artes. “Apresentar o nosso espetáculo para uma plateia, onde muitos nunca tiveram a oportunidade de ir ao teatro ou coisa parecida, foi uma experiência fora do campo de adjetivação, um verdadeiro brinde à arte”, diz Adriano. E acrescenta: “Foi uma troca de emoções, ator – espectador”.  A receptividade motivou Adriano a aspirar trilha maior do que inicialmente planejada para Lua de Sangue.

“O espetáculo nasce no Sertão, e é dele, de sua terra detentora do mais forte raio solar que Lua de Sangue pretende traçar sua caminhada pelos palcos dessa longa estrada. Gratidão, Sertão. Viva o teatro”, diz Adriano, cujo Cobogó das Artes tem por missão democratizar o acesso ao aprendizado de cinema, teatro, música e outras artes, através da oferta de cursos gratuitos ou a preços simbólicos para jovens e adultos. Todo o elenco de Lua de Sangue tem a ver com o Cobogó. Curioso é que o texto não é novo. “Já estamos na terceira geração de Lua de Sangue“,  comemora Robson Teles, autor do texto, dramaturgo e professor. Adriano foi ator da peça em sua primeira montagem, em 2001, quando ainda era aluno do ensino médio, do Colégio Visão. Ex aluno e ex professor são hoje amigos, e parceiros dessa e outras empreitadas culturais. Bonito, não é ?

Serviço
O quê: Encenação de Lua de Sangue
Onde: Teatro Bonsucesso fica na Estrada do Bonsucesso, 328, Bonsucesso, Olinda.
Quando: Sábado, 22
Horário: 19h
Quanto: R$ 15 (preço único)
Pontos de venda: Na sede da Cobogó das Artes: Rua Oiticica Lins, 134. Areias. Nas terças, quartas e sábados, ambos no período da tarde;  Diretamente com elenco;  ou  Reservas pelo direct do @cobogodasartes

Veja, abaixo, vídeo com um pequeno trecho de Lua de Sangue:

Leia também:
Cobogó das Artes solta os vampiros
Cobogó das Artes começa sábado
Cobogó das Artes tem cursos de férias
Só dá mulher em “Lisbela e o Prisioneiro”
Lisbela e o Prisioneiro” está de volta
Marcha Fúnebre, de Osman Lins, tem exibição no Arquivo Público
O mergulho na obra de Osman Lins
Palco ganha Clarice Lispector e Sylvia Plath

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Camila Herculano /Cobogó das Artes / Divulgação
Vídeo: Cobogó das Artes

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.