Olinda entra na festa dos bonecos

Um dos mais respeitados artesãos do Nordeste, o Mestre Miro  é uma das atrações do segundo lançamento do Catálogo do Mamulengo Pernambucano, que acontece  na terça-feira (20/8), a partir das 10h da manhã, no Museu do Mamulengo, que funciona no Mercado Eufrásio Barbosa, no bairro do Varadouro, em Olinda.  A entrada é gratuita e dezenas de escolas confirmaram presença. Até ônibus já foi disponibilizado pela Secretaria Estadual de Educação para levar os alunos do Recife a Olinda. Ou seja, diversão e tanto!

O Catálogo do Mamulengo Pernambucano é uma publicação em que dois fotógrafos – Hans Von Manteuffel e Alexandre Albuquerque – documentam 17 mestres da arte de criar e manipular bonecos. São ao todo 60 fotografias, reunindo artistas do Recife, Região Metropolitana, Zona da Mata e Agreste. O livro contou com assessoria de Ronaldo Moreira e Fábio Caio (Grupo Mão Molenga), e tem apresentação de outro “Papa” no assunto: Fernando Augusto. Já estive no lançamento anterior, na Fundação Joaquim Nabuco, e achei o Catálogo uma graça. Nos links abaixo, você pode obter mais informações sobre o assunto. Além do Mestre Miro e da presença dos autores, o público vai poder conferir, ainda, os bonecos que estarão à venda no local.

Ermírio José da Silva, o Mestre Miro, reside em Carpina, onde mantém sua oficina. Ele cria bonecos de todas as dimensões, desde os pequenos usados em teatro ou decoração, até aqueles em tamanho natural, como a boneca com a qual costuma dançar forró em shows, festas juninas e feiras de artesanato. Ele encantou-se pelo mundo mágico dos bonecos quando tinha sete anos. Sua primeira tentativa em criar um boneco foi em um cabo de vassoura. Conta que parou, olhou, e ficou pensando: “Como posso dar vida a isso?” Criança ainda, conheceu o Mestre Solon (já falecido) e mergulhou no encantamento dessa arte. Diz que o impacto foi tão forte, ao ver o teatro de bonecos que, ali mesmo, descobriu sua vocação. “Quando o vi, pegou aquele negócio dentro de mim e pensei que eu tinha que fazer aquilo”. “Aquilo” virou razão e meio de vida, pois Miro sobrevive exclusivamente de sua arte linda, mágica e colorida.

Veja, no vídeo abaixo, sua linda Santa Ceia, que foi vendida no primeiro dia da Fenearte, em 2019.

Leia também:
Poço  das Artes: música e mamulengo
Presença inglesa, mamulengo e Brennand no Olha! Recife
Bonecos fazem a festa em Casa Forte
Resgate do mamulengo pernambucano
Fotógrafos documentam mamulengos 
Mão Molenga faz a festa dos bonecos

Miro e o show dos seus bonecos
 No Dia do Artesão, viva Miro dos Bonecos 

Texto, foto e vídeo: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Um comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.