Recife se prepara para os 500 anos

Será que não é só blá-blá-blá? Como vocês sabem, o Recife estará completando cinco séculos em 2037, quando já deverá estar transformada em uma cidade parque, com as margens do Rio Capibaribe humanizadas, com áreas de convivência e preparadas para que as pessoas possam circular entre os bairros e o Centro, usando a bicicleta. Ou a pé. O Parque Capibaribe, no entanto, é apenas um dos 62 projetos estratégicos que compõem as diretrizes do Plano Recife 500 anos, que foi lançado hoje pela Prefeitura.

Muita coisa há que ser feita para que a nossa cidade não se transforme por completo na brutal selva de pedra, que já vem se transformando (foto). Nem tudo, no entanto,  está perdido. E  iniciativas que a tornem mais humanizada, a  serem adotadas até 2037, começam a ser anunciadas. O tempo, no entanto, é curto: 18 anos. Como no Brasil, em Pernambuco e no Recife os planos mudam a cada gestão, mesmo que sejam estratégicos, realmente a gente não sabe como isso ficará. Mas “um dos objetivos da iniciativa é que as gestões seguintes possam dar continuidade aos projetos”, segundo a Prefeitura. O prefeito Geraldo Júlio (PSB), assegura que “a estratégia será a discussão permanente com a sociedade”. E diz que anualmente, o Plano será revisto e atualizado para que possam ser agregados o conhecimento e a participação dos cidadãos. Muita coisa do que está sendo feito tem parado no meio do caminho.

Por esse motivo, penso que, do ponto de vista urbano, o primeiro plano estratégico deveria ser concluir as obras inacabadas da cidade, humanizá-la com arborização e cuidar melhor de praças e parques.  Ou seja, transformar o Recife em uma cidade para gente, para os moradores, não só para veículos. O segundo, fundamental, é cuidar do saneamento. É verdade que o saneamento está a cargo da Compesa, mas cabe ao poder público municipal criar mecanismos que acabem com o descalabro em que esse serviço básico se transformou no Recife, onde só 30 por cento da população tem direito a ele. Hoje, a gente vê esgoto a céu aberto ou estourado em todos os lugares da cidade. Até mesmo nas areias da praia de Boa Viagem. Alguém por acaso gosta de uma cidade que fede? O Recife é lindo, mas os odores dos rios, das praias e ruas sujas, todo mundo conhece. E incomodam.

Para o socialista, a “Capital do Nordeste” entregou, hoje, “o plano de cidade mais moderno do Brasil, que foi elaborado de maneira democrática e participativa”. Diz: “A gente tem, agora, a estratégia para cidade do Recife no longo prazo”.  E acrescenta: “As cidades mais desenvolvidas do mundo investem muito em planejamento, têm sempre estratégias de longo prazo  e o Recife entra neste rol”. Para o Secretário de Planejamento, Antônio Alexandre, o Recife está sendo revisto. “Por exemplo, com iniciativas como o resgate da relação do cidadão com a cidade, permitiu que o modelo educacional fosse revisto e que a estratégia de saneamento e drenagem urbana começasse a mudar sua orientação. O sistema de mobilidade também passou a ser visto invertendo prioridades e valorizando ciclovias e ciclofaixas”. Em meio às 62 diretrizes apontadas no projeto, o secretário pontuou dois pilares como principais : o investimento em educação e formação profissional e a infraestrutura urbana. “Essas são áreas fundamentais para os próximos 20 anos”, afirmou.

Livro lançado hoje contém prioridades do Recife para os próximos 18 anos, quando a cidade completa cinco séculos. Vai tudo sair do papel? (Foto ARB)

Algumas iniciativas já estão em andamento. Entre as que a Prefeitura considera como implementadas dentro do modelo Recife 500 Anos estão: Passeio da Avenida Rio Branco, Tecnologia, Creche Escola, Proler, Brinqueducar, Robótica e Inclusão escolar. No momento não tenho números quanto aos demais.  Mas tenho restrições ao chamado Boulevard Rio Branco, onde faltam equipamentos urbanos, a arborização é insuficiente e os bancos esparsos não estimulam a convivência entre os frequentadores. Em algumas horas do dia, principalmente no horário do almoço, é impossível sentar neles devido ao sol causticante, já que muitos não contam com sombras. A rua é bonita, com destaque para o estilo eclético. Mas os quiosques ali instalados são um verdadeiro atentado estético.

Veja abaixo alguns destaques sobre os caminhos estratégicos do Recife 500 anos:

Alfabetização na idade certa: O objetivo principal é alfabetizar com qualidade as crianças dos três primeiros anos do Ensino Fundamental das escolas públicas do Recife.
Qualidade da atenção materno infantil: Tem como objetivo principal a garantia ao acesso e à qualidade da rede de atenção à saúde visando reduzir a mortalidade infantil e materna.
Pesquisa, desenvolvimento e inovação na área da saúde: O foco principal desse projeto é manter Recife como um polo de pesquisa e inovação em saúde ao incorporar, de forma progressiva e controlada, novas tecnologias na área da saúde, com foco no desenvolvimento de soluções para doenças infecciosas e doenças não transmissíveis prevalentes no Recife.
Centros de excelência e cluster tecnológico: Criar um ambiente propício à atração e consolidação de empreendimentos competitivos e inovadores a partir da implantação, ampliação ou reestruturação de laboratório, centros e parques de inovação, no centro expandido, e fortalecer os centros de excelências em pesquisa e inovação articulados com as iniciativas privadas e públicas.
Cidade-Parque: Assegurar atividades contínuas de conservação para a regulamentação e implantação das unidades de conservação no Recife – integrantes do Sistema Municipal de Unidades Protegidas, e ampliar e qualificar a distribuição da cobertura vegetal na cidade do Recife.
Requalificação e caminhabilidade nas centralidades principais e dos bairros: Requalificar as centralidades nos principais corredores do Recife adotando um padrão de espaço público voltado para o transporte ativo.

Leia também:
Recife: Cidade parque em 2037?
Discutindo o Recife a 5 km por hora
Atentado estético no Boulevard
Gelos baianos invadem calçadas
Vocês querem boulevard?
Urbanismo e patrimônio cultural em discussão no Recife
Você está feliz com o Recife?
CurioCidades: o Recife cultural e afetivo por 40 fotógrafos
O Recife pelas lentes de Fred Jordão

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Letícia Lins e Andréa Rego Barros/ PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.