Alunos fazem aplicativo para Fenearte

Pensem em uma garotada que dá gosto de ver. Foi não foi, a meninada das escolas públicas de Pernambuco está desenvolvendo aplicativos. Foi assim na Semana Santa, no São João. E, agora, há mais um. Dessa vez, para orientar as pessoas que vão visitar  Fenearte 2019, que acontece no Centro de Convenções, entre os dias 3 e 14 de julho. E que vem a ser a maior feira de artesanato da América Latina. Os adolescentes são alunos da  ETE Ariano Suassuna, que é estadual.  Os estudantes envolvidos no projeto foram recebidos nesta semana pelo Governador Paulo Câmara (PSB). E cada um ganhou um computador de mesa, como forma de reconhecimento pelo trabalho.

O aplicativo resulta do Desafio APP Fenearte 2019, realizado em parceria com a Agência de Desenvolvimento Econômico (AD-Diper). Onze escolas se inscreveram. Foi selecionado o produto da ETE, que fica em Garanhuns, a 230 quilômetros do Recife. O APP tem informações sobre a programação da feira, expositores, link para venda de ingressos, transporte entre outras informações. E essa é a terceira vez consecutiva que a Fenearte dispõe de software totalmente desenvolvido por estudantes. O serviço estará disponível para download gratuito nas plataformas Android e iOS. A garotada esteve no Palácio do Campo das Princesas com o Secretário de Educação, Fred Amâncio, técnico competente – herdado da equipe do falecido Governador Eduardo Campos – e que vem fazendo gestão de destaque na área de educação.

Paulo Câmara se disse orgulhoso com a performance dos alunos da rede estadual. “Principalmente pelo fato do aplicativo ter sido desenvolvido em uma escola inaugurada há um ano. E a primeira turma já está aí desenvolvendo um aplicativo. Isso se encaixa no nosso objetivo de estar sempre motivando a juventude a se conectar e ter capacidade de desenvolver bons produtos”, afirmou o governador. Fred Amâncio reforçou: “Fico particularmente feliz, pois a ETE Ariano Suassuna é uma de nossas escolas caçulas”. Para a estudante Giovana Yasmin de Almeida, a experiência foi muito boa. “A gente pôde colocar em prática tudo aquilo que vê na sala de aula, com o nosso professor”, disse. “O projeto uniu muito o grupo durante o desenvolvimento e é gratificante saber que muitas pessoas usarão o aplicativo”.  Os alunos são: Carolina Leandro da Silva, Caio Guilherme Moreira da Rocha, Giovanna Yasmim de Almeida, Gustavo Henrique Melo Barbosa, Jean Mendes da Silva, José Gabriel Lira dos Santos, Júlio César Barbosa de Melo, Laíssa Maria Gama da Silva, Letícia Luana Soares Clemente e Shyrlaiane da Silva Magalhães. Todos estiveram no Palácio do Campo das princesas, com o  Professor Gilson Moraes Lara.

 

Leia também:
Estudantes de escola pública embarcam para Nova Iorque
Drama da Paixão: aplicativo para turistas
São João: estudantes criam aplicativo
Alunos de escola estadual em Bezerros desenvolvem aplicativo para a Feneart
Criança Alfabetizada: Destaque em educação dará prêmio a prefeitos
Cultura negra valorizada na escola 
Hortas orgânicas crescem nas escolas
Hortas fazem a festa nas escolas
Na contramão do governo Bolsonaro Você tem fome de quê? De livros
Os idiotas úteis e o idiota inútil

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Heudes Régis/ Divulgação/ SEI

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.