Ufpe terá trilha ecológica pela maior concentração de baobás do Brasil

Hoje é dia daquela árvore, que é considerada o maior colosso vegetal do mundo: o baobá. E não é novidade que Pernambuco é o estado com a maior frequência da espécie no Brasil. O que poucas pessoas sabem é que está no campus da Universidade Federal de Pernambuco a maior concentração urbana de baobás do Brasil: são nada menos de 20 exemplares, distribuídos em ruas, avenidas, pátios internos de prédios da Ufpe. Por esse motivo, os baobás estão sendo mapeados no campus. O trabalho deve ser concluído até o final de julho, quando será criada uma trilha ecológica para visitantes, curiosos e os próprios estudantes. Isoladas ou em grupos, as pessoas disporão de um mapa para fazer o roteiro daquelas árvores.

As informações constarão em site (ufpe.br/sinfra) e no Instagram . Tão logo a trilha esteja pronta, o #OxeRecife trará a informação em detalhes para os fãs dessa árvore mágica, generosa e agregadora, pela qual sou totalmente apaixonada. Basta dizer que, mesmo antes de tornar-se famosa e constituir principal atração do Jardim do Baobá, aquela planta  da Ponte D´Uchoa recebia diariamente o meu abraço, quando vivia anônima, no meio do matagal e comprimida entre o muro de um restaurante e o Rio Capibaribe. Era uma desolação vê-la esquecida e diariamente passava lá na minha caminhada, para ser solidária com ela. Uma vez, antes de construído o jardim, levei até ela um grupo de amigos que nem sabiam de sua existência. E lá, prestamos a ela a merecida referência.

Meu amigo Fernando Batista já plantou baobás em mais de quinze cidades brasileiras e inclui a árvore em seus estudos .

Coisa linda, o baobá! No momento, na Ufpe há duas pessoas fazendo a documentação fotográfica dos baobás do campus, segundo me informou Manoel Castro, Diretor de Gestão Ambiental da  Universidade. “Estamos procurando um especialista em baobá, para verificar como anda a saúde deles e descobrir porque – embora com quase a mesma idade – alguns não se desenvolveram tão bem quanto os outros”, afirma.  Para o professor John Rashford (um dos maiores especialistas em baobá do mundo), “Pernambuco é o coração da espécie no Brasil”. Ele diz, também, que “o Recife é a cidade dos baobás”.

Provavelmente em sua próxima visita ao Recife, o jamaicano acrescentará a informação sobre a Ufpe, pois – ao que tudo indica – a concentração no campus deve ser mesmo a maior do Brasil. Parte delas foi plantada pelo antropólogo Fernando Batista (foto), amigo aqui do #OxeRecife, e que é, também, o maior disseminador de mudas de baobá do país. Fernando está em Salvador, fazendo doutorado, e suas pesquisas incluem a árvore mágica e sua sacralização pelos terreiros de candomblé da Bahia. Rashford é especialista em etnobotânica do Departamento de Sociologia e Antropologia do College of Charleston (EUA). E viva o baobá!

Leia também:
Dia do maior colosso vegetal do mundo
Viva a árvore mágica no Dia do Baobá
Baobá é sagrado e generoso
No caminho dos baobás
Aprenda o bê-a-bá do Baobá
Baobás do Recife sacralizados na Bahia
Proeza: duas dissertações simultâneas

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação/ Diretoria de Gestão Ambiental/ Ufpe

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.