Estudantes de escola pública embarcam para Nova Iorque: Genius Olympiad

Estudantes da Escola Municipal Octávio de Meira Lins embarcam logo mais (15h50m desse domingo, 16) para para os Estados Unidos. Elas integram a primeira equipe da rede municipal de ensino do Recife a participar do GENIUS Olympiad. Trata-se competição internacional de projetos do ensino médio sobre questões ambientais que acontece em Nova Iorque. As garotas apresentarão todo o trabalho em Inglês.

As alunas –todas do nono  ano sâo: Thays Coelho (13), Rayane de Freitas (15) e Jessica de Santana (15). Na foto, as meninas aparecem com a professora Ana Paula Freire. Elas conquistaram a vaga na Mostra Científica Latinoamericana, que foi realizada no Peru, no final de 2018. E fazem sua primeira viagem para Nova Iorque. A escola fica no Vasco da Gama, bairro popular da Zona Norte do Recife.

O trio vai apresentar o trabalho A Questão da Fome: De Josué de Castro à Segurança Alimentar e Nutricional. A pesquisa trata da questão da fome relacionada à carência alimentar e nutricional na comunidade do Alto Nossa Senhora de Fátim, que serviu de parâmetro para uma avaliação qualitativa a respeito de como se alimenta essa população, com quem as meninas convivem diariamente já que moram naquela comunidade. Thays Coelho trocou a escola particular pela escola pública em 2016.

“O que gerava incertezas abriu um mundo de possibilidades para a estudante, que desde então já apresentou o trabalho na Feira de Conhecimentos da rede municipal, em 2018 foi para o Peru e está de malas prontas para compartilhar suas pesquisas com estudantes de todo o mundo em Nova York”, informa a Secretaria de Educação do Recife. “Sempre gostei de estudar. Tenho a sorte de ser apoiada por minha mãe e minha irmã nos estudos”, confidenciou. Boa sorte para as garotas! Ainda mais porque baseiam a pesquisa em ninguém menos do que Josué de Castro, que abriu os olhos do mundo para a problemática da fome no Brasil e no mundo, e que amargou o exílio e a cassação do mantado de deputado devido às suas denúncias. E ainda tem gente equivocada por aí defendendo escola sem partido, dizendo que colégio é só para aprender o bê-a-bá.

Leia também:
Drama da Paixão: aplicativo para turistas
Criança alfabetizada: destaque em educação dará prêmio a prefeitos
Hortas orgânicas crescem nas escolas
São João: estudantes criam aplicativo
Na contramão do governo Bolsonaro
Alunos “derrubam” 70.000 concorrentes
Você tem fome de quê? De livros
Mensagens positivas em muro de escola

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação/ PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.