Entre carinho e a consciência ambiental

“Doeu, mas aprendi muito com isso. Quando você ama, não deve pensar só em si”. A frase é do estudante Artur Caiçara, que tinha em casa um papagaio, um periquito-da-caatinga e um jabuti. “Alguma coisa na minha consciência dizia que eu estava errado”, confessou. Artur aderiu à entrega voluntária de animais silvestres, depois de campanha deflagrada no interior pela Agência Estadual do Meio Ambiente, quando foram recolhidos 73 bichos em oito municípios pernambucanos.

Os animais, no entanto, não era maltratados pelos  respectivos donos (ao contrário do que costumam fazer os traficantes). Carinho havia. Porque os donos gostavam e zelavam pelos seus “pets” de estimação. “Esse bichinhos eram muito bem cuidados. A minha esposa dava sempre banho e até colocava perfumes nele”, revelou o agricultor Ivaldo Inácio, ao entregar dois papagaios a equipes da Cprh.

Em Lagoa dos Gatos, no Agreste de Pernambuco,  família inteira entregou aves à Cprh: carinho e consciência

Por melhor que sejam tratados, o local desses animais é ao ar livre, e não presos em gaiolas ou em residências. Também não é aconselhado o uso de substâncias estranhas à vida selvagem, como o perfume relatado por Ivaldo. Entre os animais que foram entregues à Cprh encontram-se – papagaios, periquitos, araras, galos de campina, azulões, sabiás, maracanãs, cágados e jabutis, entre outras espécies. Quem tem animal silvestre em casa pode responder inquérito, processo e pagar multa. Mas quem faz entrega voluntária fica livre das acusação de crime ambiental.

Os animais passarão agora por reabilitação no Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara) e, depois, voltarão a viver livres, junto com outros de suas espécies. A iniciativa foi em parceria com os municípios, Unidades de Conservação do Estado e as ONGs Bichos da Caatinga, O Amor Abraça e Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil (SAVE Brasil). Os municípios que participaram da campanha foram Paulista, Goiana, Itamaracá, Araçoiaba e Abreu e Lima (na Região Metropolitana). E ainda Lagoa dos Gatos, Passira e Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste.

Leia também:
Papagaio cativo: multa chega a R$ 5 mil
“Dê cá o pé, meu louro”
Policial militar devolve papagaio
352 papagaios voltam à vida selvagem
Salvo papagaio acuado por cachorros
Jabutis trintões vão voltar à natureza

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos:  Cprh / Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.