Desmatamento na maior reserva de vida silvestre da Mata Atlântica rende multa

Uma área do 3,3 hectares do Refúgio de Vida Silvestres Matas de Água Azul vinha sofrendo desmatamento, mas a ação ilegal  foi embargada pela Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh) nesta semana. O RVS Matas de Água Azul é uma Unidade de Conservação (UC), de Proteção Integral, que abriga remanescentes da Mata Atlântica, inserida em partes dos municípios de Timbaúba, Vicência e Macaparana. Foi criado em 2014 com o objetivo de preservar esse importante fragmento de Mata Atlântica, sendo este o maior RVS do bioma, com o total 4.652,57 hectares, dos quais 2743,86 preservam exclusivamente mata floresta nativa.

O embargo decorreu de ação conjunta da Cprh com outros órgãos como Companhia Independente de Meio Ambiente (Cipoma, da Políciia Militar), Delegacia do Meio Ambiente e Prefeitura de Timbaúba, município localizado a 98 quilômetros do Recife. Foram emitidos autos de infração com as penalidade de embargo de áreas e multas que totalizam R$ 15.000,00. Planejada a partir do monitoramento das Unidades de Conservação do Estado, a ação desta semana visou o combate ao desmatamento e ao plantio ilegal – principalmente de bananeiras – no interior da Unidade de Conservação.

Uma operação semelhante, na mesma região, foi realizada em junho de 2018, quando foram constatados desmatamento em duas áreas para tentativas de ocupação (invasão),  desmobilizadas de imediato, e plantios irregulares. Na ocasião, os plantios foram destruídos e as bananas recolhidas foram destinadas à merenda escolar em Timbaúba. Os responsáveis não foram encontrados. Desta vez, no entanto, com a identificação dos proprietários das áreas degradadas da vegetação de Mata Atlântica– mais uma vez para plantio irregular –, foram emitidos os autos  de infração e os respectivos processos de penalidade iniciados. Conforme as autuações da Agência ambiental, os degradadores terão que definir e executar um plano de recuperação da área degradada.

Leia também:
Novos desmatamento em Aldeia
Desmatamento em pulmão do Recife
Prefeitura destrói área protegida. Pode?
Desmatamentos ilegais em Aldeia
Mata Atlântica: PE fez o dever de casa
Lotes irregulares em Mata Atlântica
As “matas” de cimento em Paulista

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Cprh/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.