Parem de derrubar árvores (180)

Sinceramente, não entendo os números oficiais. No mês passado, recebi informações da Prefeitura, segundo as quais o Recife possui 250 mil árvores. Poucos dias depois, chegou outra informação, afirmando que a cidade tem 260 mil, em um momento em que a Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade anuncia o plantio de 10 mil mudas, na chamada Maratona Verde. Será que já estão computando essas, que nem árvores são ainda, mas apenas bebês que podem ou não crescer?

Solicitei ontem a informação sobre o número exato à Semas, mas até o momento não obtive resposta. Essa questão do arboricídio aqui no Recife parece que virou uma caixa preta. Entre 2013 e 2015, a Emlurb havia feito cerca de 5000 erradicações. A informação, no entanto, foi pública até aquele ano. De lá para cá, não se divulga mais o número de degolas. Cadê a transparência? Segundo a Prefeitura, desde então, mais de 50 mil árvores foram plantadas. Êpa, árvore não, muda. E mudas – como disse acima – às vezes não se transformam em árvores.  Morrem de inanição, são atacadas por pragas e, pior, por vândalos. A informação é que pelo menos 30 por cento não sobrevivem.

E, portanto, não sei se as contas batem. Não temos números exatos, nem mesmo a quantidade certa de erradicações realizadas. Mas se aquele ritmo de guilhotinas de 2013 e 2015 tiver sido mantido, o Recife deve ter perdido nada menos de 15 mil árvores desde aquela até a presente data. Um verdadeiro arboricídio. Quantas foram realmente plantadas? Quantas mudas resistiram? A muda é uma árvore nas contas oficiais? O que sei é que todo dia encontro um novo toquinho na minha frente. Ou então são os leitores que me encaminham. Nesta semana, chegou mais um caso ao #OxeRecife, dessa vez enviado por Élio Siqueira, Desembargador do Tribunal Regional Federal da Quinta Região, que fica no Recife.  Como muitos recifenes, ele deve estar incomodado com podas tão radicais, como a que registrou nessa semana.

“Acrescente à sua estatística o que mandei mais cedo”, solicitava ele, em postagem feita no Facebook do #OxeRecife, ao reagir ao post Parem de derrubar árvores (179), no qual o Blog fecha uma conta redonda e triste: o registro ( só aqui neste espaço) de nada menos de 300 árvores decepadas, guilhotinadas, assassinadas, nas ruas da nossa capital, tão carente de sombra e refresco. Como eu não sabia o local da mais recente vítima, não pude publicar a denúncia de Élio no mesmo dia. Pois no inventário de vítimas do arboricídio, o #OxeRecife faz questão de registrar data, endereço e fotografia, informações que podem ser até usadas em eventuais plantios para reposição em áreas desfalcadas.  A vítima mais recente do arboricídio fica em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, segundo informa Élio Siqueira:

A homenagem a PCR à Semana do Meio Ambiente, na esquina da Rua dos Navegantes com a Padre Carapuceiro. Pelo diâmetro da árvore, percebe-se quantas décadas a Mãe Natureza demorou para nos presentear com ela.

Ele fez o desabafo em mensagem enviada ao #OxeRecife, via redes sociais. Informa que a degola ocorreu bem pertinho do Edifício Portugal, um dos pontos de referência do bairro de Boa Viagem. . Resultado: mais um alegrete (canteiro) com a triste cena provocada pela motosserra insana, a famigerada. Arboricídio, não!

Leia também:
População acusa arboricídio no Recife
Arboricídio vira caixa preta
Abaixo o arboricídio insano
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
Lei para conter o arboricídio
Compensação pela selva de concreto
Quatro mil árvores eliminadas no Recife?
Arborização do Recife em discussão
Aos 482 anos, o Recife ganha 482 árvores 
O Recife ficará mais verde até 2021
Entre o arboricídio e a Maratona Verde
Maratona Verde já começou
Vem aí a Maratona Verde com 10.000 mudas para o Recife do arboricídio

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Elio Siqueira / Cortesia do leitor

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.