Pedra, mata e paz religiosa

No sábado, 25 de maio, decidi me engajar ao passeio do Olha! Recife, com roteiro voltado para basílicas do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes.  Meu alvo era a para mim desconhecida Basílica  de Nossa Senhora Auxiliadora, em Jaboatão dos Guararapes, município localizado na Região Metropolitana. Não foi fácil chegar lá.

A igreja fica entre a área rural e a urbana de Jaboatão – em terras do antigo Engenho Suassuna – e hoje chamada localidade de Vila Velha. A estrada de acesso é muito estreita, não comporta trânsito nos dois sentidos. E, por diversas vezes, o nosso ônibus teve que parar, se recolher ao acostamento ou a alguma entrada, para deixar outro veículo passar.

Em um determinando momento, um ônibus que opera na cidade foi obrigado a andar em marcha a ré por um longo trecho, para abrir espaço para nós passarmos. Um horror. Mas valeu a pena. A igreja, datada de 1905, fica  no meio de uma vegetação exuberante, entre  árvores seculares de Mata Atlântica.  É o verde lá em baixo, e ela no topo de um morro rochoso.

É que a igreja está incrustada no alto de uma pedra com 36,5 metros de comprimento, 22 de largura e onze de altura, à qual se tem acesso por escadrias. O local escolhido para erguer o templo lhe conferiu ainda maior imponência. O santuário fica sobre uma gruta. A igreja foi construída pelo padre italiano Antônio Vellar, e teria sido um pedido de Dom Bosco,para que lhe fosse dedicado um templo em Pernambuco. Hoje o complexo integra a Colônia Salesiana e é alvo de romaria,  havendo infraestrutura para receber romeiros. No sábado, tinha gente aproveitando a paisagem para tirar fotografias para álbum de casamento.

Veja galeria:

Leia também:
Basílicas, palacetes e Brasília Teimosa
O milagre da Igreja dos Milagres
A menor igreja de Olinda?
Uma pérola na comunidade do Pilar
Santuário pioneiro é no Recife
Matriz de Santo Antônio: xô, vândalos!
A igreja sem história
Rua da Conceição e relíquias religiosas
Minha tarde no Olha! Recife 

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Letícia Lins e Arquivo da Arquidiocese (aérea)

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.