“Cidade Limpa”: Essa cena vai acabar?

Bem sujinha – fica a dever, no quesito limpeza, a outras capitais do Nordeste, como Salvador, por exemplo – a nossa capital está ganhando mais uma edição da campanha Cidade Limpa, uma versão ampliada do Praia Lima, que pretende conscientizar as pessoas para zelar por um Recife com uma quantidade menor de lixo nas ruas. Infelizmente temos órgãos que atuam na área com  operância aquém da desejada, principalmente no que diz respeito a multas contra os porcalhões. Temos, ainda, população pouco educada que não colabora, tanto no Centro, quanto em morros, alagados, e nos nos chamados bairros nobres.

Como a Praia Limpa, a Cidade Limpa também resulta de parceria da Prefeitura com a Tv Globo. Em Boa Viagem, onde a Praia Limpa é mais atuante, a campanha consiste na distribuição de sacolas para depositar o lixo e na distribuição de canudos de papel, para evitar que os plásticos cheguem aos oceanos, com todos os males que representam. Só há um problema: distribuir material, só, não resolve. Os ambulantes que emporcalham a areia continuam emporcalhando do mesmo jeito, sem que a Emlurb passe lá para multá-los. E canudo de papel, nunca vi nenhum. Vejo é coco, refrigerante, tudo sendo servido com canudos plásticos. Assim como vejo a presença desses materiais, aos montes, na areia. Cadê a Praia Limpa? Cadê a fiscalização dos órgãos públicos? Afinal, a campanha é ou não para valer?

O descarte indevido – de todo o tipo de lixo – acontece também em outros pontos da cidade, onde não é difícil identificar os responsáveis já que os “despejos” ocorrem sempre nos mesmos lugares. Multa que é bom….nada. De acordo com a Prefeitura, pelo menos 3 mil pessoas estarão diariamente envolvidos na campanha Cidade Limpa. O Recife recolhe cerca de 45 mil toneladas de lixo por mês e umas 30 mil outras toneladas de entulhos, indevidamente jogados nas ruas da cidade. Mas a julgar pelo que se vê nas ruas, a produção de lixo deve ser bem maior. Segundo a Tv Globo, a campanha envolve o Desafio Cidade Limpa, convocando a população a participar de mutirões de limpeza. Vamos ver em que vai dar. É preciso educar, não só limpar. E multar, quando for preciso. Porque, ao que parece, as pessoas só tomam jeito quando começa a doer no bolso.

A Prefeitura informa que a Cidade Limpa irá ampliar em 28% a quantidade de lixeiras papeleiras. Hoje, o Recife conta com 3.000 lixeiras deste tipo, as que são mais comuns e ficam afixadas em postes. E a partir do projeto serão implantados mais 800 equipamentos semelhantes em toda a cidade. Além das lixeiras de papel, a cidade conta com 67 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) em locais públicos, onde a população pode fazer o descarte de materiais recicláveis, como plásticos, vidros, alumínios e outros tipos. Há ainda a opção das Ecoestações, onde pode haver o descarte de objetos maiores como sofás, camas e demais eletrodomésticos. As Ecoestrações instaladas no Recife estão nos bairros do Ibura, Imbiribeira, Campo Grande, Totó, Cohab, Torrões, Torre, Arruda, Pina (Via Mangue) e Iputinga. Para assinalar a campanha e motivar a população para o aproveitamento de materiais recicláveis, várias esculturas do artista Alexandre Almeida (foto acima, à esquerda) estão espalhadas em locais estratégicos do Recife, como o Cais da Jaqueira (capivara) e o da Alfândega (gaivota). Elas são confeccionadas com materiais como garrafas pet e latas de cerveja.

Leia também:
Não jogue na rua. Chame o 156
Descarte correto de lixo tem manual
Meu bairro eu também limpo
Lixo nas Graças: ninguém faz nada
A peleja da Emlurb com os porcalhões
Praia Limpa para Boa Viagem e Pina 
Emlurb limpa mas não multa porcalhões
Praia Limpa e impunidade na areia
O Recife leva “banho” de Salvador no quesito limpeza

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.