Mata Atlântica: PE fez o dever de casa

Nesta segunda (27), comemora-se o Dia da Mata Atlântica, bioma ainda presente em 17 estados brasileiros, onde residem mais de 145 milhões de pessoas, e que é de fundamental importância para a qualidade do clima e de nossas vidas. E do qual restam pouco mais de doze por cento da cobertura original. Desses 12,4 por cento, nada menos de 80 por cento encontram-se em áreas privadas.

Entre 2016 e 2017, a Mata Atlântica perdeu cerca de 125 quilômetros quadrados de floresta, o que é preocupante. Mas nem tudo está perdido: entre 2017 e 2018, o índice de destruição caiu 9,3 por cento, o que significa 113 quilômetros quadrados de áreas devastadas. É um número ruim, mas um pouco melhor do que o anterior.  As informações são da Fundação SOS Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que monitoram o bioma desde 1985. Como vocês sabem, a Mata Atlântica está entre as mais ricas em diversidade, porém entre as com maior número de espécies ameaçadas do Planeta.

Pernambuco, felizmente, fez o dever de casa.  Em 2018,  o desmatamento em nosso estado foi  75  menor do que em 2017.  O bom desempenho só não foi melhor do que Alagoas (97 por cento). Outros estados – Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte –  também  apresentaram quedas nos níveis de desmatamento.

Desde o sábado, há ações para assinalar o Dia da Mata Atlântica. Entre os dias 25 e 26, voluntários realizaram a Ação Nacional pela Água, com monitoramento da qualidade da água em mais de 10 rios pelo Brasil. Houve ações em Alagoas, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Sergipe. Já no domingo (26), a população de São Paulo poderá conhecer novos parques da cidade.

Na ação Descubra a Mata Atlântica de São Paulo, o público visitou os parques naturais municipais Itaim, e Fazenda do Carmo, na Zona Leste daquele Estado. Em Pernambuco, houve trilha no domingo, pela Mata Atlântica, no Bairro da Guabiraba.  No Brasil, as ações fazem parte do Viva a Mata 2019, evento que há 15 anos celebra o Dia da Mata Atlântica. O Viva a Mata conta com o apoio de Bradesco Cartões, Colégio Dante Alighieri, Globo, Latam, Unibes.

Leia também:
As “matas” de cimento em Paulista
Mata Atlântica ganha viveiro para produção anual de 100000 mudas
Proteção insuficiente para a Mata Atlântica
Mata Atlântica ganha seis aliados
Mata Atlântica ganha agentes populares
Desmatamento em “pulmão” do Recife

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.