Liana Ventura: reconhecimento internacional

Ela é a primeira oftalmologista pediátrica do Brasil. E tem trabalho de destaque no combate à cegueira e à reabilitação de pessoas com deficiências visuais, auditivas, físicas e intelectuais da população de baixa renda. Vice-Presidente da Fundação Altino Ventura, Liane Ventura coordena e executa diversos projetos em Pernambuco, e em mais oito estados do Norte e Nordeste do Brasil. Seu trabalho ganha reconhecimento internacional. No  próximo sábado (25 de maio), ela recebe a Medalha Humanitária Benjamim F. Boyd, em  Cancún, no México.

A comenda deve-se aos “relevantes serviços prestados à humanidade”, por meio da FAV. A cerimônia de entrega ocorrerá na solenidade de abertura do Congresso Pan-americano de Oftalmologia, dia 25 de maio. Liana é a primeira oftalmologista com atuação no Brasil a receber a distinção. Criado em 1987, o Prêmio Humanitário Benjamin F. Boyd reconhece profissionais que se destacaram no cenário internacional, trazendo avanços na atuação profissional da oftalmologia e contribuindo, de forma pioneira, para a ciência e o desenvolvimento dos povos das Américas.

Ela é membro da diretoria da Fundação Pan-Americana de Oftalmologia, vice-presidente do Conselho Executivo da FAV e Coordenadora do Departamento de Oftalmologia Pediátrica e Estrabismo do Hospital de Olhos de Pernambuco – Hope. Também é diretora do Centro Especializado em Reabilitação, CER IV, da FAV. Atua ainda como consultora técnico-científica do Ministério da Saúde do Brasil no Plano de Enfrentamento à Microcefalia pelo Zika vírus e na Organização Mundial de Saúde – OMS na área de Síndrome Congênita do Vírus da Zika. Quem trabalha com a médica, conhece bem sua dedicação.

Já  Fundação Altino Ventura (FAV) foi fundada outubro de 1986, período em que já realizou mais de 14 milhões de procedimentos em 1,6 milhão de pacientes. Através de seus Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (residência médica, especialização e fellow em oftalmologia), já formou 572 médicos oftalmologistas brasileiros e estrangeiros (América Latina e África). A instituição desenvolve e publica regularmente trabalhos científicos, apresentados em congressos no Brasil e no mundo. Entre 2016 e 2018, foram 74 publicações em revistas indexadas nacionais e internacionais. Toda assistência clínica, cirúrgica e de emergência oftalmológica oferecida pela FAV à população de baixa renda é feita 100% via Sistema Único de Saúde (SUS). Através de diversos projetos de combate à cegueira e reabilitação visual, a instituição já beneficiou 145 dos 185 municípios de Pernambuco.

Leia também:
A designer dessa pilha de livros
“Tem poder quem age”. Vamos agir?
Campanha contra plástico rende prêmio
A arte canabarro de Lorane Barreto
Trio segue caminho de pais famosos

Texto:  Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.